Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)

Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)
Com 37 anos de história e 250 milhões de quilômetros de testes, o Campo de Provas da Ford em Tatuí, interior de São Paulo é um dos únicos centros de experimentação de carros, picapes e caminhões da América do Sul. Nesta semana, a Ford convidou a imprensa para visitar o local que foi palco do desenvolvimento dos dois únicos veículos globais criados na América do Sul: o EcoSport e o Ka.
Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)
Além dos projetos locais, Tatuí responde pelo desenvolvimento e adaptação para a região de outros modelos globais lançados recentemente no Brasil, tais como o Fusion, o Edge, a Ranger, o New Fiesta e, agora, o Focus e o Focus Fastback. Na área de caminhões, este é único campo de provas do país habilitado para este tipo de veículo. Realizou todos os testes da nova Série F, com os modelos F-350, F-4000 e F-4000 4x4. Agora, acaba de liberar mais um futuro lançamento: a linha de caminhões pesados com transmissão automática Ford Cargo. Instalado em uma grande área de 4,66 milhões de metros quadrados, o complexo é equipado para a realização de testes que incluem desempenho e consumo de combustível, emissões, evaporação, arrefecimento, freios, penetração de água e poeira, cabines de névoa salina, nível sonoro interno e externo, dinâmica veicular, calibração e desenvolvimento de motores e durabilidade. Conta também com uma oficina experimental para a construção de protótipos. Pistas de testes Ao todo são 50 km de pistas de testes, sendo 10 km pavimentados. As pistas simulam diferentes tipos de ruas e estradas da América do Sul, relacionados com outros campos de provas da Ford no mundo. Há seções de pistas pavimentadas de alta e baixa velocidade, labirinto, colinas, rampas com diferentes ângulos de inclinação e estradas de terra e lama.
Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)
Laboratório de ruídos Ruídos emitidos pelo carro, como ronco do motor, fechamento de porta ou sinal de pisca são analisados em um laboratório acústico com equipamentos e softwares sofisticados que permitem registrar, quantificar e identificar cada tipo de som. Um desses novos equipamentos é o VisiSonics, que conta com múltiplos microfones e câmeras para gerar um mapa de 360 graus capaz de sobrepor sons e imagens. Com ele, os engenheiros da área de Ruídos, Vibrações e Asperezas (NVH) conseguem identificar a origem de sons em cada ponto da cabine e adotar ações para a melhora da sua qualidade ou anulação. “O objetivo é buscar o menor nível de ruído interno na cabine do veículo, considerando diferentes tipos de pistas, para permitir, por exemplo, melhor compreensão da fala entre os ocupantes e, consequentemente, um melhor conforto acústico”, diz Jorge Marano, engenheiro de testes de NVH.
Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)
Simulador de pistas Simulador de rodagem Outro laboratório que faz parte do complexo é um ambiente fechado que possui um simulador de pistas (também conhecido como "Four Poster"). É composto por quatro pilares que sustentam e movimentam as rodas do veículo por meio de atuadores hidráulicos. Estes são controlados por softwares capazes de reproduzir mais de 30 tipos de pistas do Brasil e outros países. Laboratório de emissões Aqui a Ford realiza os testes de emissões de gases e consumo dos veículos. O laboratório conta com dinamômetros e sistemas analisadores de gases para ensaios de motores a gasolina, flex ou diesel, de acordo com as normas brasileiras e europeias. Tudo auditado pelo Inmetro a cada 2 anos.
Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)
No local são realizados mais de 7 mil ensaios por ano, que consomem cerca de 35 mil litros de combustível no total. No caso de veículos novos são enviadas amostras que variam de 0,2% a 0,4% de cada lote produzido.
Conheça em detalhes o campo de provas da Ford em Tatuí (SP)
“Entre outras inovações, já estamos equipados para a homologação de veículos com a norma Euro 6 de motores diesel para a Argentina e o Chile, que só deverá ser adotada no Brasil em 2018”, diz Astor da Silva Filho, supervisor do Laboratório de Emissões. Por Julio Cesar, de Tatuí (SP) Viagem a convite da Ford Galeria de fotos:

Seja parte de algo grande