Faróis a laser: você está disposto a pagar (caro) pela tecnologia?

Estamos sempre querendo carros com motores mais eficientes, transmissões mais rápidas e com muita tecnologia a bordo. Desde os sistemas de segurança passiva e ativa às novas centrais de infotainment que interagem com uma infinidade de smartphones. Claro, queremos sempre mais. Mas a pergunta agora é: estamos dispostos a pagar pela tecnologia? Uma tecnologia em específico nos chamou a atenção pelo seu alto custo: os faróis com tecnologia laser. Depois das luzes super-brancas, xenônio e LEDs, a nova onda será o laser. Claro que inicialmente será oferecido nos carros topo de gama, mas ainda assim é bem caro.
Faróis a laser: você está disposto a pagar (caro) pela tecnologia?
Entre os modelos que sairão de fábrica com este item, o novo BMW Série 7 o tem como opcional pelo valor de 1.200 euros na Alemanha (R$ 5,1 mil). Este item da BMW é o mais acessível de todos e combina faróis com LED a um feixe de luz gerado por um módulo de laser que dobra o alcance dos faróis LED convencionais. Segundo a montadora, com ele o alcance do faixo de luz é de até 600 metros.
Faróis a laser: você está disposto a pagar (caro) pela tecnologia?
Audi R8 é o que tem o "menor" preço. Os faróis com tecnologia laser acrescentam nada menos do que 3.380 euros, valor que em conversão direta equivale a mais de R$ 14,4 mil. São mais de R$ 14 mil por um conjunto óptico! Segundo a montadora das quatro argolas, o seu sistema com ponto de laser complementa o feixe principal de LED, ampliando o alcance e visibilidade. Assim como o sistema BMW, tem com como característica iluminação em tom de azul.
Faróis a laser: você está disposto a pagar (caro) pela tecnologia?
Mas o que mais chama a atenção são os faróis com tecnologia laser para o esportivo elétrico BMW i8. Em seu configurador, a marca bávara indica nada menos do que 6.300 euros. Aqui o negócio já começa a ficar fora da nossa realidade com os equivalentes R$ 26,9 mil.
Faróis a laser: você está disposto a pagar (caro) pela tecnologia?
Aqui no Brasil, quase tudo que é caro acaba ganhando versões "genéricas". É normal vermos carros com as luzes super-brancas, azuladas ou amareladas de potência maior que as originais. O problema destas soluções é que quase sempre não são bem reguladas, estourando totalmente o facho e ofuscando os motoristas que seguem no sentido contrário. O mesmo vale para os faróis de xenon genéricos. Da medo até de pensar os resultados de um futuro farol a laser mal instalado: ao invés de ofuscar, será que poderá cegar?

Seja parte de algo grande