Contato: novo Cruze hatch ganha moral com motor turbo, mas bate Golf e Focus?

Contato: novo Cruze hatch ganha moral com motor turbo, mas bate Golf e Focus?
Chamado de Sport6 no Brasil, em alusão ao desenho mais agressivo que o sedã e ao câmbio de seis marchas, o Cruze hatch acaba de aparecer em sua segunda geração no Salão de Detroit, EUA. E desta vez a promessa de esportividade vai além do visual, pois debaixo do capô o modelo agora carrega um motor 1.4 turbo no lugar do antigo 1.8 aspirado. O mesmo deverá acontecer no Brasil, com as vendas do hatch esperadas para 2017 - o sedã deve chegar um pouco antes, no fim de 2016, com estreia prevista para o Salão do Automóvel. Apresentado em Detroit na versão Premier RS, com acabamento esportivo, o Cruze hatch chama atenção pelo estilo. As linhas estão mais esportivas e mais "clean", com destaque para os faróis com feixes de LEDs e a generosa tomada de ar na dianteira. Atrás, as lanternas estão mais compridas, passando a invadir a tampa do porta-malas, enquanto um chamativo spoiler complementa o desenho agressivo. O para-choque também tem linhas invocadas, com a saída de escape incorporada.
Contato: novo Cruze hatch ganha moral com motor turbo, mas bate Golf e Focus?
A GM norte-americana destaca no modelo a ampla capacidade de carga, mostrando o carro sem a cobertura do porta-malas e invariavelmente com o banco traseiro rebatido - talvez na tentativa de mostrar que um hatch pode ser suficiente para o dia-a-dia. O porta-malas, porém, parece ligeiramente menor que o do Cruze hatch atual, que é um dos melhores do segmento neste sentido. Já o espaço interno está maior, notadamente no banco traseiro, ainda que o teto mais baixo que o do sedã interfira no vão para a cabeça. Para as pernas, há espaço de sobra.
Contato: novo Cruze hatch ganha moral com motor turbo, mas bate Golf e Focus?
Como notamos no Cruze sedã, o acabamento é simples para quem quer desafiar Golf e Focus. O painel e as laterais de porta mantém o plástico rígido como material principal, enquanto o quadro de instrumentos parece ter sido simplificado em relação ao modelo atual - o mesmo vale para os comandos do volante. Outra coisa que estranhamos foi o freio de estacionamento de pedalzinho, coisa bem norte-americana e que deveria ser repensada para o modelo sul-americano. As boas notícias ficam por conta da posição de dirigir, bem esportiva, e de um nicho para o celular que também é um carregador wireless. Por fim, o modelo traz o sistema de concierge OnStar e adiciona a nova geração da central multimídia MyLink, com Apple Car Play e Android Auto para espelhamento de celulares.
Contato: novo Cruze hatch ganha moral com motor turbo, mas bate Golf e Focus?
O motor 1.4 turbo com injeção direta, já oferecido nos EUA desde o Cruze atual, gera 155 cv de potência e 24,5 kgfm de torque, prometendo desempenho bem mais interessante que o conhecido 1.8 aspirado. Diferentemente da versão oriental, o Cruze norte-americano manteve o câmbio automático de seis marchas em vez de receber a nova transmissão de dupla embreagem e sete marchas - caminho que a versão vendida no Brasil também deverá seguir, mas com o propulsor turbo em versão flex. A suspensão traseira ainda é por eixo de torção, enquanto as trocas manuais da transmissão são feitas por um (nada prático) botão acima da alavanca. Em resumo, não oferece o refinamento de Golf e Focus, mas certamente fará melhor figura que o carro atual na briga dos hatches médios. Texto e fotos: Daniel Messeder, de Detroit (EUA) Viagem a convite da FCA

Galeria de fotos: Chevrolet Cruze Hatch 2017

Seja parte de algo grande