Extintor de incêndio deixa de ser obrigatório para automóveis no Brasil

Marcelo Camargo/Agência Brasil Em reunião realizada nesta quinta-feira (17), o Contran - Conselho Nacional de Trânsito - decidiu que o uso de extintor de incêndio em automóveis passa a ser facultativo no Brasil. Dentro de poucos dias, quando a medida for assinada, o equipamento não será mais obrigatório. A mudança na lei ocorreu 90 dias após uma avaliação técnica e consulta aos setores envolvidos, e torna facultativo, também, em utilitários, camionetas, caminhonetes e triciclos de cabine fechada. Para veículos usados comercialmente para transporte de passageiros, caminhões, caminhão-trator, micro-ônibus, ônibus e destinados ao transporte de produtos inflamáveis, líquidos e gasosos o uso continua obrigatório - a obrigatoriedade do uso de extintor passou a vigorar em 1970.
Extintor de incêndio deixa de ser obrigatório para automóveis no Brasil
De acordo com o Denatran, os fabricantes disseram ser necessário um prazo de 3 a 4 anos para atender a demanda pelo equipamento. Porém, segundo o presidente do Contran, essa justificativa já estava sendo dada pelas indústrias há 11 anos. Dados da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva mostram que o uso do extintor realmente não fazia sentido: dos 2 milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Desse total, apenas 24 informaram que usaram o extintor, equivalente a 3%. Além disso, o Denatran constatou por meio de pesquisas que a tecnologia disponível nos veículos de hoje resultam em maior segurança contra incêndio. Como exemplos há o corte automático de combustível em caso de colisão, localização do tanque de combustível fora do habitáculo dos passageiros, flamabilidade de materiais e revestimentos, entre outras.
Extintor de incêndio deixa de ser obrigatório para automóveis no Brasil
Utilizado em países como Uruguai, Argentina e Chile, o extintor não é exigido nos Estados Unidos e na maioria dos países da Europa. As autoridades desses países consideram que a falta de treinamento e despreparo dos motoristas para o manuseio do extintor geram mais risco de danos à pessoa do que o próprio incêndio. Todavia, para os veículos em que o uso for obrigatório os extintores automotivos só serão do tipo ABC, destinados a combater fogo da classe A (sólidos combustíveis) B (líquidos e gases combustíveis) e C (equipamentos elétricos energizados). Eles tem validade de 5 anos e ao fim do prazo terão que ser obrigatoriamente substituído por um novo - a penalidade para quem não estiver com extintor ou se estiver com validade vencida, é de multa de R$ 127,69, além de cinco pontos anotados na CNH.

Seja parte de algo grande