Mercedes: feita na Argentina, picape GLT será peça-chave para manter crescimento

A Mercedes-Benz aproveitou a ocasião do Salão de Frankfurt para reiterar o ambicioso plano de emplacar mais que 2 milhões de veículos por ano até 2022. Parte forte da estratégia, o segmento de modelos comerciais receberá atenção especial e, dentro deste contexto, será lançada a primeira picape média da marca. Internamente chamada de GLT, a camionete surgirá a partir de uma parceria firmada com a Renault-Nissan e terá como base a plataforma da nova geração da Frontier - que vai sustentar também a francesa Alaskan.
Mercedes: feita na Argentina, picape GLT será peça-chave para manter crescimento
Com produção já confirmada na Argentina e na Espanha, a GLT terá posicionamento premium e passará longe do perfil de veículo comercial. Será um modelo “legítimo Mercedes”, como já adiantou a marca, e trará diferenciais tecnológicos importantes para o segmento como teto solar, janela traseira com abertura elétrica, tampa da caçamba com abertura em 180 graus e suspensão traseira independente. O modelo representará ainda a primeira investida de uma fabricante de luxo alemã no mercado de picapes.
Mercedes: feita na Argentina, picape GLT será peça-chave para manter crescimento
Na Argentina, mais precisamente em Córdoba, serão produzidos 70 mil exemplares ao ano com foco no abastecimento da América Latina, sendo o Brasil o principal mercado. Na planta europeia, especificamente em Barcelona, serão feitas anualmente 120 mil unidades, destinadas ao próprio continente, além de Ásia, África, Oceania e provavelmente América do Norte. O lançamento deve acontecer dentro de dois ou três anos.

Seja parte de algo grande