Fiat paralisa produção em Betim por conta da greve dos caminhoneiros

A greve dos caminhoneiros que já afeta pelo menos 11 estados do país obrigou a Fiat a paralisar parte das operações da fábrica de Betim (MG) nesta semana. Conforme explica a marca, pelo segundo dia consecutivo aproximadamente 6 mil funcionários dos primeiro e segundo turnos foram dispensados de suas atividades por conta da falta de componentes. As peças deveriam chegar à unidade especialmente através da Fernão Dias (principal ligação entre São Paulo e Belo Horizonte), mas diversos trechos da rodovia estão bloqueados pelos protestos.
Fiat paralisa produção em Betim por conta da greve dos caminhoneiros
Segundo o sindicato consultado pelo portal Automotive Business, a planta produz aproximadamente 3 mil carros por dia. Como a paralisação afeta dois turnos, a estimativa é de que pelo menos 2 mil veículos deixaram de ser produzidos nos últimos dois dias. Não obstante, o sistema de produção “just in time” e "just in sequence" adotado pela fábrica faz o uso praticamente instantâneo das peças que chegam, o que acaba impedindo a formação de estoques.
Fiat paralisa produção em Betim por conta da greve dos caminhoneiros

Entenda a greve

Os protestos dos caminhoneiros em diversas rodovias do país foram iniciados domingo (22) e ampliados desde então. De acordo com a Polícia Federal, as manifestações já atingem cerca de 11 estados, incluindo São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Bahia. Os motoristas reclamam do alto preço do diesel associado ao baixo valor dos fretes nas viagens.

Seja parte de algo grande