Plataforma D2XX do novo Cruze terá vida útil de pelo menos 12 anos

A política de enxugamento de gastos anunciada recentemente pelos executivos da General Motors deve obrigar a marca a manter plataformas em uso por mais tempo que o previsto. Em entrevista concedida recentemente à agência Reuters, Dan Amman, presidente da GM, afirmou que a arquitetura DX22 adotada pela nova geração do Cruze terá sua vida útil estendida para pelo menos 12 anos. A meta é reduzir custos de desenvolvimento e realocar recursos para outras áreas, especialmente as de resultado a longo prazo.
Plataforma D2XX do novo Cruze terá vida útil de pelo menos 12 anos
Também presente na nova geração do Opel Astra e outros médios da GM, a base DX22 deve equipar pelo menos 2,5 milhões de carros por ano. Como forma de compensar o uso prolongado da mecânica, a marca promete investir mais em recursos de tecnologia e dispositivos de conectividade, além de aplicar facelifts em intervalos de tempo menores. O montante que será economizado vai ser usado em investimentos "alternativos" como aprimoramento do aplicativo Lyft (concorrente do Uber) e no Maven (serviço de compartilhamento de carros).

Seja parte de algo grande

Plataforma D2XX do novo Cruze terá vida útil de pelo menos 12 anos

Foto de: Dyogo Fagundes