Anfavea: licenciamentos e produção despencam ao nível de 6 anos atrás

A situação da indústria automotiva nacional não é nada boa. Em coletiva realizada pela ANFAVEA nesta quinta-feira (05) em São Paulo, os números de licenciamentos e produção indicam grande retrocesso comparáveis aos níveis de seis anos atrás. O atual cenário econômico que trouxe o aumento da alíquota de IPI, a perda da confiança do consumidor além das questões comerciais com países da América Latina, em especial a Argentina, contribuíram para o registro de 185.900 licenciamentos, número que representa a queda de 26,7% no número de licenciamentos na comparação com janeiro. O volume de produção também despencou em fevereiro. Prejudicada pelo feriado de Carnaval, foram produzidos 200.100 veículos, número que mostra uma queda de 2,3% em relação a janeiro que já havia sido fraco. A comparação com o mesmo mês de 2014, o tombo é grande: 28,9%. Segundo Luiz Moan, presidente da ANFAVEA, a queda na produção também é reflexo da "forte necessidade de adequação de produção" para atender a demanda mais baixa. Prova disso são os estoques das montadoras, que apesar da queda na produção, é suficiente para atender 50 dias, um dia a mais do que a situação de janeiro. Produção ao nível de 2009 evidencia postos de trabalho excedentes Moan destacou que o volume de produção do mês de fevereiro voltou ao mesmo patamar de novembro de 2008, ou seja, um retrocesso de seis anos. Já o nível de produção equivale ao mesmo nível de fevereiro de 2009.
Anfavea: licenciamentos e produção despencam ao nível de 6 anos atrás
Com base nestas comparações, divulgou que também houve uma redução de 1,3% nos postos de trabalho no setor automotivo, caindo de 144.200 para 142.300 trabalhadores. Em 2009, referência para o nível de produção, o número de trabalhadores no setor era de 123.000, número que segundo o executivo deixa claro o esforço para manter o nível de empregos. Questionado, Moan afirmou que há um grande excedente no número de empregados, mas isso não significa que haverá demissões. Desde 2009 até agora, novas fábricas foram instaladas no país e ampliações foram feitas, o que justifica o esforço para manter o nível de empregos atual. E os próximos meses não são muito animadores. A Anfavea antecipará para o próximo mês a revisão das previsões de produção e licenciamento para este ano. Segundo Moan, a revisão trará mudanças "extremamente significativas", o que sugere uma importante redução no acumulado anual. Por Fábio Trindade De São Paulo, SP

Seja parte de algo grande