Mais cara, gasolina premium é única saída para carros que não são flex

A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) ainda não tem uma conclusão oficial se a nova gasolina com 27% de etanol causará danos aos carros com motores que não são flex. Esta "nova gasolina" chega aos postos no dia 16 de março. Em entrevista ao CARPLACE, o presidente da Anfavea, Luiz Moan, reiterou que a posição das montadoras é de se abastecer com gasolina premium (a de alta octanagem) os veículos movidos somente à gasolina. De acordo com o executivo, enquanto os testes de durabilidade não forem concluídos, esta permanece sendo a posição da Anfavea.
Mais cara, gasolina premium é única saída para carros que não são flex
Na orientação da Anfavea, modelo como o Jetta 2.0 TSI deverá usar gasolina premium Moan também explicou que desde o ano passado as montadoras vêm realizando testes o teor elevado de etanol na gasolina. O tempo para conclusão varia entre 12 e 18 meses, período necessário para que seja possível rodar cerca de 100 mil quilômetros. Mesmo assim, o governo pediu para acelerar os testes, que numa estimativa inicial, passou a ter previsão de conclusão ainda neste mês.
Mais cara, gasolina premium é única saída para carros que não são flex
Importados com motor a gasolina, como o Classe C, também A reportagem de CARPLACE procurou engenheiros de algumas montadoras para saber se há algum impacto real este aumento do etanol na gasolina. De forma extra-oficial, indicaram que os carros não flex não devem ter problemas com esta nova gasolina, mas preferem manter cautela até as conclusões dos testes. Nos carros mais modernos equipados com turbo ou injeção direta, explicam que já foram projetados com componentes de resistência mais elevada por conta da própria tecnologia.
Mais cara, gasolina premium é única saída para carros que não são flex
E os modelos mais antigos? Toda esta cautela se deve ao possível efeito em cascata que pode ocorrer caso a gasolina venha a provocar danos nos carros. Quem pagará a conta? Atualmente, só existe uma opção de gasolina premium no mercado, a Podium da Petrobrás, com preços em torno de R$ 4,00, quando disponível. Como não está no manual do proprietário a indicação do uso de gasolina de alta octanagem, o consumidor deve ser responsabilizado em caso de danos? E a questão da garantia? Tudo indica que os resultados dos testes "acelerados" pelo governo devem sair muito em breve, o responderá de forma definitiva estas perguntas. Enquanto a resposta não vem, o jeito é preparar o bolso.

Seja parte de algo grande

Mais cara, gasolina premium é única saída para carros que não são flex

Foto de: Fábio Trindade