Fiat jamais voltará a ser uma marca de massa, admite Sergio Marchionne

Em entrevista concedida recentemente à agência de notícias Automotive News Europe, Sergio Marchionne, CEO do grupo FCA Fiat-Chrysler, foi bastante sincero em relação às perspectivas de futuro da gigante italiana. Nas palavras do executivo, a tradicional fabricante de Turim jamais voltará a ser uma marca de massa na Europa e a partir de agora tomará outro foco. Segundo Marchionne, toda atenção será dada à duas questões consideradas estratégicas: lucratividade e disciplina.
Fiat jamais voltará a ser uma marca de massa, admite Sergio Marchionne
"A Fiat não é mais uma marca de massa e não pretendemos voltar a ser", disse o executivo. "Perderemos o apelo de montadora generalista que têm uma ampla gama de produtos e focaremos apenas naquilo que fazemos de melhor", completou. Dessa forma, as apostas se concentrarão em modelos compactos como Panda, 500 e Punto, além de médios como 500X e 500L. O sucessor do Bravo também foi confirmado e deve começar a ser produzido em 2016 na Turquia.
Fiat jamais voltará a ser uma marca de massa, admite Sergio Marchionne
No ano passado a Fiat foi superada na Europa pelas três grandes fabricantes premium da Alemanha e por pouco não ficou atrás da Skoda (confira ranking abaixo). Apesar das baixas, Marchionne diz que não está preocupado em recuperar a participação perdida na região. Segundo o executivo, o ritmo da economia não justificaria os investimentos necessários para tornar a Fiat novamente uma montadora de grande volume. Fiat ficou abaixo da trinca premium alemã em 2014: Audi: 726.059 unidades BMW: 676.410 unidades Mercedes-Benz: 652.373 unidades Fiat: 586.271 unidades Skoda: 582.140 unidades

Seja parte de algo grande