Brasil fecha acordo automotivo de 8 anos com a Colômbia; tarifas zeram em 2016

Brasil e Colômbia assinaram na última semana uma série de acordos comerciais em diversas áreas. Entre eles está o acordo automotivo que irá vigorar durante oito anos e tem como destaque a antecipação de 2018 para 2016 da tarifa zero para importação de carros entre dois os países. Pelas regras do acordo a tarifa de importação zero vai valer para até 12 mil veículos, em 2016, 25 mil em 2017 e 50 mil a partir de 2018. Membro da Comunidade Andina, bloco econômico que também integra Bolívia, Peru e Equador, a Colômbia deve crescer mais de 4% neste ano e se consolida como o terceiro maior mercado da América do Sul, ficando atrás de Brasil e Argentina. Apesar disso, o país está em sétimo lugar entre os maiores parceiros comerciais do Brasil - realidade que deve começar a mudar a partir dos novos acordos. Compartilhando uma fronteira de 1.645 km, Brasil e Colômbia registraram em 2014 um comércio bilateral de US$ 4,1 bilhões (R$ 15,3 bilhões), aumento de 165% em comparação com 2005. "Nesse momento de dificuldades econômicas no nível mundial, tudo o que pudermos fazer para intensificar a integração comercial e os investimentos entre Brasil e Colômbia é muito importante", disse Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia. Em relação ao conteúdo local as regras são mais específicas. Para os fabricantes nacionais a cota vai variar de acordo com o percentual de nacionalização. Em 2016, por exemplo, 9.000 veículos devem ter ao menos 50% de conteúdo local, enquanto o restante deve ter 35%. Para a Colômbia, 9.000 devem ter 35% de nacionalização e 3.000 ao menos 50% de conteúdo local. De 2018 em diante, serão 45.000 carros com 50% e 5.000 mil tendo 35%, aplicando-se a regra inversa para a Colômbia.

Seja parte de algo grande