Renault Captur nacional chega em 2016 com base de Duster

Após muitas especulações sobre a vinda do crossover Captur ao Brasil, agora vai: a produção do modelo no Brasil começa no fim deste ano, segundo ouvimos de uma fonte ligada à marca, mas com uma série de modificações em relação ao original europeu. Conforme antecipa o site argentino autoblog, as mudanças começam já pela plataforma utilizada. O Captur fabricado no Brasil (e exportado para lá), apesar de ter o mesmo desenho do original europeu, utilizará a base da família Duster/Sandero, originalmente da romena Dacia, no lugar da plataforma do Clio IV (atual geração do hatch lá fora) para economizar no custo de produção e deixar o crossover mais barato.
Renault Captur nacional chega em 2016 com base de Duster
Os motores serão, como esperado, os mesmos do Duster: 2.0 flex de 148 cv e o 1.6 16v flex, de 110/115 cv. Diferente do SUV, o Captur não terá a opção de tração 4x4, ficando apenas com a potência nas rodas dianteiras. Sua principal missão será competir com os Honda HR-V, Peugeot 2008 e Ford EcoSport, modelos urbanos e mais refinados que o Duster, mais robusto e rústico.
Renault Captur nacional chega em 2016 com base de Duster
As vendas no Brasil deverão começar no primeiro trimestre de 2016, com preços acima do Duster. Apesar da plataforma mais barata, já vimos pelo Sandero RS que a Renault pode refiná-la, aplicando itens como direção eletro-hidráulica e controle de estabilidade (ESP) que inclui o assistente de partida em rampa (hill holder).

Seja parte de algo grande