Contrariando o que a VW disse, motor V6 3.0 TDI também usou o software "enganador"

Contrariando o que a VW disse, motor V6 3.0 TDI também usou o software "enganador"
Eis que surge mais um problema para a Volkswagen dentro do escândalo de emissões. A EPA - agência de proteção ambiental dos Estados Unidos - confirmou que a marca também utilizou o software manipulador nos motores V6 3.0 litros a diesel. Conforme dissemos nas matérias anteriores sobre o assunto, a fraude consistia no programa que adulterava os resultados de emissões na hora dos testes. No caso específico deste motor, as emissões de óxido de nitrogênio foram nove vezes maiores que o permitido. Estimativas apontam que 10 mil unidades estariam com o software malicioso instalado. Os modelos envolvidos são o Volkswagen Touareg, Audi A6, A7, A8 e Q5 e Porsche Cayenne. Nenhum desses modelos é vendido no Brasil com este motor 3.0 V6 diesel. "A Volkswagen falhou novamente em cumprir as exigências anti poluição dos Estados Unidos", afirma a executiva da EPA, Cynthia Giles. A fabricante se pronunciou dizendo que o motor diesel V6 3.0 TDI atende as normas de emissões. Leia também:  Software “enganador” está presente em 17 mil unidades da VW Amarok no Brasil Este software também está presente no motor 2.0 TDi, que afetou cerca de 11 milhões de veículos em todo o mundo. No Brasil, a fraude atingiu 17 mil unidades da picape Amarok, cuja correção foi prometida pela Volkswagen para o início de 2016.

Seja parte de algo grande

Contrariando o que a VW disse, motor V6 3.0 TDI também usou o software "enganador"

Foto de: Redação