FCA admite que parceria com Ford ou GM seria "tecnicamente possível"

FCA admite que parceria com Ford ou GM seria "tecnicamente possível"
Em entrevista concedida durante o Salão de Genebra, Sergio Marchionne, CEO da FCA, mais uma vez atiçou a curiosidade do mercado quanto ao fechamento de uma possível parceria. Especulada há alguns meses e considerada um passo estratégico para o desenvolvimento de novas tecnologias e redução de custos, a aliança poderá ser fechada com um das duas maiores fabricantes dos Estados Unidos. Durante a conversa, o executivo foi reticente, mas admitiu que seria "tecnicamente possível" se associar com a Ford ou a General Motors. Especialistas do mercado, no entanto, enxergam a junção com a GM pouco provável, uma vez que acordos com a Fiat firmados no passado não progrediram e acabaram gerando multas bilionárias para a norte-americana. A união com a Ford também é vista com pouco entusiasmo, já que a marca nunca declarou estar à procura de um sócio. Dessa forma a grande aposta dos analistas é a Mazda, que já mantém relações amigáveis com a italiana e poderá ser útil nos planos futuros.
FCA admite que parceria com Ford ou GM seria "tecnicamente possível"
Além das americanas, outras marcas de grande porte foram mencionadas. Sobre o Volkswagen, Marchionne declarou que "nunca sentou para tratar desse tipo de assunto com os alemães". Quanto à PSA, disse: “não vejo combinação, não serviria para solucionar nossos problemas".

Seja parte de algo grande