Teste Rápido: como é usar um Porsche Panamera no dia-a-dia?

Esses dias estava eu com o VW Gol 2017 e a nova Honda Biz injetada lá na garagem de casa. Dois lançamentos importantes, dois dos veículos mais vendidos do país, com mudanças de motor e visual. Não ouvi um pio de meus vizinhos, nenhuma perguntinha sequer no elevador, nenhum comentário do porteiro. Eu nem parceia o mesmo cara da semana anterior, quando meu interfone tocou para perguntarem se eu queria uma vaga maior para estacionar o "meu carro". É que no lugar do Golzinho estava um Panamera. Sim, um Porsche de meio milhão de reais. E olha que ele era da versão, digamos, de entrada... A vida de um jornalista automotivo é assim: é preciso ajustar nossos parâmetros às vezes muito rapidamente, saindo na mesma semana de um Panamera para um Gol; de uma S1000 RR para uma Biz. Já tive o prazer de dirigir alguns Porsche, mas a maioria deles em eventos fora do Brasil, nos lançamentos internacionais da marca. Agora a Porsche está oficialmente no Brasil (antes era representada por um importador) e, entre outras ações, montou uma frota de imprensa. Daí este Panamera em nossas mãos.

O que é?

Para quem já acelerou o Panamera Turbo S de 550 cv na Alemanha, pegar o V6 "básico" pode não parecer tão legal. Mas nada como levá-lo para sua estrada favorita, passar naquele "buraco-teste" do seu bairro, abastecê-lo com a nossa gasolina, ver a reação do povo na rua e manobrá-lo para estacionar na sua garagem. Expectativa que já veio acompanhada de água. Quando saí do prédio da Porsche o céu estava mais preto que a pintura do Panamera, já começando a desabar aquela tempestade de fim de tarde em São Paulo. E o medo de a Marginal Pinheiros alagar? Graças a São Pedro deu tudo certo na Marginal e peguei a estrada rumo a Campinas para um evento sem grandes contratempos. A única área alagada ainda estava tranquila de desviar, apesar de um pouco de trânsito em volta. Ali já comecei a perceber o "tratamento" dos demais motoristas comigo (ou melhor, com o Panamera). Há uma espécie de respeito velado pelo corpanzil do cupê de quatro portas (mais de cinco metros!) somado ao fato de todos saberem que um bicho desses custa uma nota preta. Te olham com olhares de admiração, não de inveja. Na estrada caiu a maior chuva que eu me lembre de ter enfrentado dentro de um carro. E o medo de algum "cacareco" aquaplanar e acertar o Panamera? Por conta disso, viajei "pianinho", entre 80 e 100 km/h, até porque mesmo com o limpador no máximo estava difícil enxergar alguma coisa. O piso encharcado, porém, não foi problema para a aderência do esportivo, sempre muito bem postado ao solo e transmitindo segurança extrema. A direção é firme e comunicativa. Mas viajar num ritmo desses num Porsche também não quer dizer nada... Chegamos ao destino sãos e salvos, mas eu também não havia colhido experiência de pilotagem nenhuma do modelo. Ficou para a volta, quando ainda demos uma esticada na pista de testes para coletar os números de desempenho do Panamera "básico". Na realidade atual de motores turbo e direções elétricas, este Porsche soa um pouco "old school" com seu V6 aspirado de 3.6 litros e sua direção com assistência hidráulica - coisa que vai durar pouco tempo, pois uma nova geração do cupê já está em fase final de gestação.

Como anda?

O motor V6 deriva do V8 usado na versão S e, com injeção direta, rende 310 cv e 40,8 kgfm de torque. Por ser aspirado, entrega seu melhor em rotações elevadas, especialmente a partir de 4 mil rpm, quando também começa a emitir um ronco mais grave. Mesmo acusando mais de 1,8 tonelada na balança, o Panamera "de entrada" não tem nada de bobo: acelerou de 0 a 100 km/h em menos de 7 segundos e retomou de 80 a 120 km/h antes dos 5 segundos em nossas medições - méritos também para o rapidíssimo câmbio PDK de dupla embreagem, que quase não perde tempo nas trocas. Mas ele brilhou mesmo foi na prova de frenagem: percorrendo apenas 35 metros na medição de 100 km/h a 0, o cupezão alemão bateu simplesmente o recorde de frenagem de nossos testes, destronando do posto o Renault Mégane RS - um hot hatch muito mais leve.
Teste Rápido: como é usar um Porsche Panamera no dia-a-dia?
Na estrada, viajar de Panamera é sempre um prazer. Apesar das rodonas com pneus de perfil baixo e da suspensão firme, ele roda suave e silencioso. Andando numa boa, dá até para conseguir um consumo ao redor dos 10 km/l, o que não é nada mau para um Porsche deste peso e tamanho. Mesmo corpulento, o Panamera é justo no espaço interno: somente quatro felizardos podem desfrutar de sua cabine, que tem toques de jato particular no acabamento e chama a atenção por oferecer, na traseira, praticamente o mesmo tratamento dispensado a quem vai na frente: bancos tipo concha individuais e um console central cheio de comandos - na verdade, todos dedicados ao sistema de climatização independente para cada 1/4 do interior.
Teste Rápido: como é usar um Porsche Panamera no dia-a-dia?
À vontade na estrada, o Panamera se sente um pouco peixe fora d'água na cidade. Ele é muito largo para nossas avenidas, com mais de 2 metros se contarmos os retrovisores externos, e sofre nos buracos com batidas secas da suspensão. Na capital paulista, a impressão é de que um motoboy logo vai acertar seu retrovisor - o que felizmente não aconteceu durante os dias de avaliação. No trânsito intenso, também o câmbio PDK dá umas passadas mais secas, como se o carro reclamasse de ser tirado da garagem para ficar peso no congestionamento. No supermercado, o porta-malas de 445 litros deu conta com sobras das compras do mês (é praticamente a mesma "mala" de um Honda Civic). Mas é preciso deixar o estepe em casa, pois o pneu sobressalente ocupa quase todo o compartimento - na Europa o Panamera vem com kit de reparos para furos.
Teste Rápido: como é usar um Porsche Panamera no dia-a-dia?
Na garagem apertada do meu prédio, foi preciso um pouco de malabarismo para estacionar - nem tanto pelo comprimento de picape cabine dupla, mas principalmente pela largura de micro-ônibus. Ao menos o Panamera vem com um recurso pra lá de interessante: a dianteira pode ser erguida por um botão no painel, o que livra o para-choque dianteiro de raspar na rampa da garagem, ou mesmo na guia rebaixada da saída. Genial!
Teste Rápido: como é usar um Porsche Panamera no dia-a-dia?
Na devolução, um misto de saudade e alívio por entregar intacto um carrão que vale mais que o apê que eu moro. Na listinha de pedidos para a próxima geração, anoto borboletas individuais para o câmbio no volante (as atuais servem pra subir ou descer a marcha na mesma peça, em dois botões distintos) e também um sistema de entretenimento com tela sensível ao toque e de melhor resolução, pois a do Panamera está visivelmente ultrapassada. Mas creio que isso virá naturalmente, pois o novo 911 já trouxe estas melhorias.

Quanto custa?

Nascido para cobrir grandes distâncias e poder levar a família na viagem (coisa que 911, Boxster e Cayman não fazem), o Panamera tem vendas discretas no Brasil - ficando bem atrás dos queridinhos jipões Macan e Cayenne. Mas é uma beleza poder optar por um cupê em vez de um SUV quando se quer um Porsche para curtir com mais gente, pois, por mais que Macan e Cayenne sejam ótimos de guiar, SUVs não conseguem ter a mesma dinâmica de um carro baixinho e colado no chão. Uma curiosidade é que o Panamera V6 custa menos da metade da versão topo de gama, saindo por R$ 511.000, enquanto o Turbo S é tabelado a R$ 1.099.000. Mas, nas ruas e no seu prédio, o povo não faz distinção: você é o cara do Porschão! Por Daniel Messeder Fotos: Rafael Munhoz

Ficha técnica – Porsche Panamera V6

Motor: dianteiro, longitudinal, seis cilindros em V, 24 válvulas, 3.605 cm3, injeção direta, gasolina; Potência: 310 cv a 6.200 rpm; Torque: 40,8 kgfm a 3.750 rpm; Transmissão: câmbio automatizado de sete marchas, dupla embreagem, tração traseira; Direção: hidráulica; Suspensão: independente com paralelogramo deformável na dianteira e traseura; Freios: discos ventilados nas quatro rodas, com ABS; Rodas: liga leve aro 18" com pneus 245/50 R18 na dianteira e 275/45 R18 na traseira; Peso: 1.845 kg; Capacidades: porta-malas 445 litros, tanque 80 litros; Dimensões: comprimento 5.015 mm, largura 1.931 mm, altura 1.418 mm, entre-eixos 2.920 mm Medições CARPLACE Aceleração 0 a 60 km/h: 3,0 s 0 a 80 km/h: 4,8 s 0 a 100 km/h: 6,9 s Retomada 40 a 100 km/h em S: 5,2 s 80 a 120 km/h em S: 4,7 s Frenagem 100 km/h a 0: 35,0 m 80 km/h a 0: 21,4 m 60 km/h a 0: 12,1 m Consumo Ciclo cidade: 6,0 km/l Ciclo estrada: 10,0 km/l

Galeria de fotos: Porsche Panamera V6

Seja parte de algo grande