Citroën "caça" um dos primeiros C3 fabricados no Brasil e faz surpresa

Em uma ação de marketing bem criativa a Citroën comemora 11 anos de produção do C3 no Brasil. Para homenagear os mais de 330 mil proprietários do modelo, a campanha denominada “C3 Hunter”, tinha como missão caçar a unidade mais antiga do C3 fabricada no país e reformá-la completamente. A “caçada” pelo C3 mais antigo do Brasil entrou na fanpage da Citroën do Brasil no Facebook no final de 2014 e levou apenas três dias para Manuela Oristanio se manifestar: “o C3 mais antigo e de um único dono é do meu pai. Até me viu crescer!”.
Citroën "caça" um dos primeiros C3 fabricados no Brasil e faz surpresa
O C3 do empresário Marccelo Oristanio, pai de Manuela, foi comprado em julho de 2003, sendo uma das primeiras unidades a sair da linha de produção de Porto Real, no Rio de Janeiro. A busca durou dois meses e mais de 11 milhões de pessoas viram a campanha, que teve 112.279 curtidas na página da Citroën. A marca entrou em contato com a família e descobriu, então, que o C3 em questão era o número 87 da linha de montagem, produzido no dia 7 de abril de 2003, e que Marccelo era o cliente que mais tempo ficou com um C3 nas mãos.
Citroën "caça" um dos primeiros C3 fabricados no Brasil e faz surpresa
Restauração A Citroën foi até a empresa de Marccelo, em São Paulo, e levou o veículo embora, mas sem revelar o motivo: a restauração completa do C3 da família Oristanio. O trabalho envolveu a troca de peças e a revitalização de itens de desgaste natural, como elementos de aspecto. Porém, a mais emblemática foi a alavanca de câmbio, que a cachorra “Blu” mastigou em uma das cômicas situações da família com o carro. A reforma aconteceu na concessionária Le Mans, em Osasco. Demandou cerca de 50 horas de serviço. Funilaria e pintura foram 100% recauchutadas e pneus e bancos, substituídos. Todavia, a equipe de marketing da marca não sabia que, quando entraram em contato com a família, a esposa e a filha de Marccelo finalmente tinham o convencido a comprar outro carro.
Citroën "caça" um dos primeiros C3 fabricados no Brasil e faz surpresa
Após a reforma, porém, os planos mudaram. “Agora é que ele não larga mesmo”, diz a esposa, Vanessa. “Vai continuar com a gente”, confirma Marccelo. A diferença é que eles decidiram ficar também com o C3 novo que a Citroën deixou com eles durante a reforma e foi vendido com desconto. “Serão dois na família!”, comemora a filha Manuela, que vai herdar o modelo 2015.

Galeria: Citroën C3

Seja parte de algo grande