Salão de Milão: Yamaha arrepia com a nova MT-10, versão naked da R1

A Yamaha entra oficialmente na briga das supernakeds com a mais nova integrante da família MT, a MT-10. Emprestando o motor 4-cilindros e muitas das tecnologias da superesportiva R1, a "MTzona" completa a linha formada pela MT-03 (que chega ao Brasil no segundo semestre de 2016) e pelas já nacionais MT-07 e MT-09.
Salão de Milão: Yamaha arrepia com a nova MT-10, versão naked da R1
Como acontece na rival naked BMW S1000 R para a esportiva S1000 RR, a MT-10 é uma versão, digamos, mais civilizada e urbana da R1, revisada para uso de rua. Para tanto, o motor da R1 recebeu nova tomada de ar, novo escape e sistema de injeção específico, tudo para aumentar a entrega de torque em baixas e médias rotações. A potência ainda não foi revelada, mas deverá ficar um pouco abaixo dos 200 cv da R1.
Salão de Milão: Yamaha arrepia com a nova MT-10, versão naked da R1
A MT-10 oferece três modos pilotagem: Standard, A e B, sendo o A o mais forte e o B mais indicado para uso urbano, além de controle de tração também com três opções de atuação. O sistema de embreagem é assistido e deslizante, para deixar a manete mais leve e evitar que a roda traseira "trave" em reduções mais fortes, respectivamente.
Salão de Milão: Yamaha arrepia com a nova MT-10, versão naked da R1
Para aumentar o conforto, o chassi de alumínio teve a posição de pilotagem revisada, com guidão mais alto e aberto, além de a moto receber um cruise control, o piloto automático que mantém a velocidade escolhida sem uso do acelerador. Por fim, o sub-chassi traseiro é novo e com pontos para ancoragem de malas laterais.
Salão de Milão: Yamaha arrepia com a nova MT-10, versão naked da R1
Suspensões são Kayaba com garfos invertidos de 43 mm na dianteira (120 mm de curso) e monoamortecida com link tipo Monocross na traseira. Os freios são a disco duplo na frente (320 mm) e disco simples atrás (220 mm), sempre com ABS. Em termos visuais, a MT-10 traz o estilo agressivo da família com direito a carenagens recortadas e faróis de LED, sendo que os piscas e a lanterna traseira também trazem iluminação por diodos de luz. O painel é totalmente digital e em posição central, lembrando o da MT-07 em escala ampliada.
Salão de Milão: Yamaha arrepia com a nova MT-10, versão naked da R1
As vendas na Europa começam em 2016 nas cores preta, azul e cinza. Se vier ao Brasil, o que esperamos, será coisa para 2017. Ano que vem a Yamaha ainda vai começar a vender a nova R1 (e sua versão de pista R1M) por aqui.

Galeria de fotos:

Seja parte de algo grande