Cabe mais combustível do que a capacidade do tanque? Auditoria mostra que sim

Uma situação que muitos motoristas certamente já passaram, e que acaba gerando desconfiança, acontece no abastecimento. Muitas vezes, o funcionário do posto ignora o clique da trava e segue enchendo o tanque até o gargalo. E é justamente esta situação que uma auditoria pedida pelo Carrefour mostrou o que acontece na prática. Com a ajuda do Centro Tecnológico de Controle de Qualidade Falcão Bauer, certificado pelo INMETRO, foi possível mostrar uma grande variação entre o limite do tanque indicado no manual e a capacidade real abastecida em três modelos: Chevrolet Celta, Ford Fiesta e Renault Sandero. Respeitando as Portarias N.23/1985 e N.54/2004 do INMETRO, o Centro Tecnológico iniciou o teste fazendo a auditoria do volume em litros mostrados no visor da bomba com o volume real apurado no galão de medição. Na sequência, os três carros tiveram os tanques completamente esvaziados e o abastecimento foi feito até o bocal (o frentista continuou depois do clique da bomba até o gargalo). A diferença mais chamativa entre a capacidade do tanque e quantidade abastecida foi a do Renault Sandero 1.0 2010, com 14,18 litros a mais. O Ford Fiesta 1.6 2008 registrou a segunda maior diferença, 8,34 litros. O modelo mais próximo da capacidade indicada foi o Celta 1.0 2005, com apenas 3,44 litros a mais. Confira o vídeo da auditoria: https://www.youtube.com/watch?v=z4Gbo9AQGqc A auditoria confirma que realmente cabem mais litros no tanque do que consta no manual. No entanto, as montadoras explicam que essa diferença é uma margem de segurança para preservar componentes e configurações eletrônicas dos carros. Por conta disso, todas as fabricantes recomendam abastecer somente até a quantidade máxima indicada no manual, interrompendo o abastecimento ao primeiro clique de segurança da bomba de combustível.

Seja parte de algo grande