Chery: funcionários fazem greve por direitos e salários em Jacareí (SP)

Os metalúrgicos da Chery começaram nesta semana uma greve por tempo indeterminado na nova fábrica de Jacareí (SP). A unidade possui cerca de 470 trabalhadores e produz o modelo Celer nas versões hatch e sedan. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, a greve tem como objetivo pressionar a empresa para reconhecer a Convenção Coletiva da categoria, cumprindo assim os salários e direitos praticados no setor de montadoras da base do sindicato.
Chery: funcionários fazem greve por direitos e salários em Jacareí (SP)
A produção segue 100% paralisada e os metalúrgicos permanecem na porta da empresa. Essa é a primeira fábrica da Chery fora da China e a primeira greve desde a inauguração, que aconteceu em agosto do ano passado. Ainda segundo informações do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, a Chery pratica um piso salarial de R$ 1.199 para montador, enquanto um trabalhador com a mesma função na General Motors tem um salário inicial de R$ 3.500. A empresa também se recusa a praticar a jornada de trabalho de 40 horas semanais e a assegurar estabilidade no emprego para vítimas de acidente de trabalho ou de doenças ocupacionais, como está previsto na Convenção Coletiva da categoria.
Chery: funcionários fazem greve por direitos e salários em Jacareí (SP)
Desde quando a montadora chinesa iniciou suas atividades em Jacareí, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região negocia a assinatura da convenção coletiva com a empresa. Apesar disso, a empresa mantém a postura de se recusar a reconhecer os direitos da categoria e a própria legislação do país. Galeria de fotos: Chery Celer

Seja parte de algo grande