Fiat não pode ter carros globais por culpa do Brasil, diz chefão

Fiat não pode ter carros globais por culpa do Brasil, diz chefão
Em entrevista ao Automotive News Europe, Olivier Francois, CEO da Fiat, falou sobre as estratégias de mercado da marca e também sobre os novos compactos que chegarão à Europa, principalmente as versões hatchback e wagon do novo Aegea.
Fiat não pode ter carros globais por culpa do Brasil, diz chefão
Fiat Aegea estreia no fim do ano, mas só na Europa Sabemos que em breve na Europa o Linea será substituído pelo completamente novo Aegea. Na sequência, virá a versão hatch para o lugar do Bravo e a wagon, que faria o papel do descontinuado Stilo Multiwagon.
Leia também:  Este é o novo Fiat Aegea, substituto do Linea: veja detalhes e fotos
Fiat não pode ter carros globais por culpa do Brasil, diz chefão
Olivier descreve o Aegea como sendo um carro bastante funcional, mas sem aquele monte de mimos que as pessoas às vezes não querem pagar. A ideia é oferecer um carro bem projetado, tecnológico e eficiente em consumo. Todas as três versões serão produzidas na fábrica de Bursa, na Turquia.
Fiat não pode ter carros globais por culpa do Brasil, diz chefão
Fiat 500: um dos poucos modelos globais da marca

Culpa do Brasil

Questionado sobre o fato de apenas o 500 ser um carro mundial, ele disse que é difícil para a Fiat ter uma linha de produtos globais mais coesa. Isto porque eles não podem vender na Europa os carros feitos no Brasil, pois os modelos nacionais não atingem as metas de emissões mais rigorosas do Velho Continente. Por outro lado, ele acredita que os brasileiros também não pagariam mais caro pelos modelos europeus, que são mais equipados. Criado para mercados emergentes o Palio é líder de vendas no Brasil Para concluir, o CEO lembrou que a Fiat é líder de mercado no Brasil e que gostaria de oferecer mais carros globais. Todavia, apostar em modelos mais caros e completos colocaria esta liderança em risco, pois o preço é um fator fundamental. Disse que essa estratégia se aplicaria as marcas que têm menor volume de vendas e como exemplo citou a Citroën, que produz o C3, um modelo que também é vendido na Europa. Fonte: AutomotiveNewsEurope Fotos: Fiat Aegea 

Seja parte de algo grande

Fiat não pode ter carros globais por culpa do Brasil, diz chefão

Foto de: Redação