Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar

Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Para uma marca que é co-irmã da Land Rover, a Jaguar mais do que passou da hora de fincar suas garras no segmento SUV. Pois o F-Pace chega com tudo para tirar o atraso. Ele une o design esportivo da Jaguar ao expertise 4x4 da Land Rover, além de algumas tecnologias que um carrão que passa dos R$ 400 mil deve trazer para atrair a atenção de seu exigente público. CARPLACE acelerou o mais destemido dos felinos ingleses, nas versões 2.0 diesel e 3.0 V6 Supercharger, e conta agora se a espera valeu a pena.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
O cenário é a bela região montanhosa de Minas Gerais, mas todos os olhares vão primeiro para o F-Pace. Deu certo a combinação da dianteira do sedã XE com a traseira larga e de lanternas afiladas do F-Type, aplicadas num corpo mais alto e parrudo. Não gosto muito de opinar sobre design, as fotos falam por si. E a Jaguar sabe que o visual será um dos principais motivos de compra do SUV, tanto que ela espera que a maioria dos compradores sejam novos na marca - vindo de outros SUVs menores e menos luxuosos.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Quem pensar nos atuais clientes do Evoque está certo, é por aí mesmo. O F-Pace será ofertado em três versões no Brasil: Prestige 2.0 diesel, 3.0 V6 Supercharger R-Sport (R$ 360.500) e 3.0 V6 Supercharger S (R$ 405.900). Ainda haverá uma série limitada First Edition com apenas 19 unidades (todas na cor azul "cheguei" das fotos), por R$ 416.400. Novidade do modelo de entrada fica por conta do motor da gama Ingenium, totalmente desenvolvido pela Jaguar-Land Rover, com 180 cv de potência e 43,9 kgfm de torque. As demais trazem o conhecido 3.0 V6 com compressor mecânico, em configurações de 340 cv (R-Sport) e 380 cv (S) - o torque é de 45,9 kgfm. A transmissão é sempre automática de oito marchas da ZF com tração AWD de distribuição eletrônica.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Começando pelo mais "simples", o F-Pace a diesel gera sentimentos contraditórios. O motor é nada menos que sensacional, certamente o propulsor a óleo mais silencioso e menos vibrador que já acelerei em toda minha vida. A bruta entrega de torque logo a 1.750 rpm garante movimentação atlética ao felino de quase 1,8 tonelada, de modo que as saídas são ágeis e sobra força nas retomadas e subidões - seja no asfalto ou na terra.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
A questão é que este motor simplesmente não combina com o F-Pace, principalmente depois que você dirige a versão V6 a gasolina. Sem rodeios, o diesel tem torque, mas falta potência e ronco. Ah, o ronco! O urro do 6-cilindros da Jaguar é certamente um dos mais belos e instigantes do mercado - tanto que ele é usado até no F-Type. Aqui no F-Pace ele mantém o temperamento: responde sempre nervoso e em alto som, fazendo a gente esticar as marchas só para curtir, mesmo que logo à frente venha uma lombada e seja preciso frear forte. Os números de desempenho não deixam dúvidas sobre qual F-Pace abre o maior sorriso no rosto: o 2.0 diesel garante 0 a 100 km/h em 8,7 segundos e máxima de 208 km/h; o V6 sobrealimentado faz o mesmo em 5,8 s e atinge 250 km/h.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Ou seja, entendo que o camarada interessado em autonomia e longas viagens compre o F-Pace a diesel (que afinal é muito bom), mas a verdade é que o V6 Supercharger tem muito mais a ver com o modelo. Até porque, mesmo alto e grandalhão, o F-Pace está longe de ser desengonçado para dirigir. Pelo contrário: ele parte da plataforma do sedã XE, que usa muito alumínio (80% do total), portas de aço e tampa do porta-malas de composto de carbono, para chegar à uma distribuição de peso ideal de 50/50 em cada eixo.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Como pudemos comprovar nas serrinhas mineiras, o SUV inglês foi acertado mais para a esportividade do que para o conforto. A suspensão não chega a ser dura, mas não lida muito bem com pisos ruins, especialmente na distensão dos amortecedores, ocasionando a chamada "queda de roda" nos buracos - algo que a gente sente (e ouve) da cabine. Em contrapartida, a inclinação da carroceria nas curvas e desvios rápidos é bem contida para um modelo com 213 mm de altura livre do solo, o que somado às rodas aro 19" e aos pneus largos, garante estabilidade elogiável. Claro que temos de respeitar seu "peso SUV" nas entradas de curva, onde o F-Pace tende a escapar de frente, mas a direção é rápida e comunicativa o bastante para transmitir segurança ao condutor, da mesma forma que os potentes freios.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
A transmissão de oito marchas também atua de forma eficiente e discreta nas mudanças, oferecendo as borboletas no volante com boa velocidade de resposta. Enquanto isso, o sistema de tração integral automático deixa o torque no eixo traseiro em condições normais, podendo enviar até 50% da força para a frente assim que preciso - o que pode ser acompanhado em tempo real pelo monitor dinâmico da central multimídia. Além disso, o sistema de vetorização de torque aplica os freios na roda interna à curva para o carro apontar mais facilmente na trajetória. No off-road, a eletrônica freia a roda que está patinando e entrega o torque à roda oposta, aumentando a mobilidade.
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Obviamente que não se trata de um legítimo fora-de-estrada, mas o F-Pace vai mais longe do que a maioria dos donos de SUVs de luxo vão ter coragem de explorar. Durante o test-drive, a Jaguar preparou uma pequena trilha dentro de uma fazenda, onde pudemos testar o interessantíssimo All Surface Progress Control - um sistema que permite manter uma velocidade constante (entre 3,6 e 30 km/h), acelerando e freando o carro de forma automática de acordo com o obstáculo enfrentado. Na prática é assim: na subida, o carro acelera sozinho para vencer o barranco, tomando o cuidado para não acelerar demais e as rodas patinarem - o que você poderia fazer caso estivesse comandando o pedal; já nas descidas o recurso atua como o conhecido HDC (controle de descidas), segurando o carro no freio-motor e no próprio freio por meio de pulsos no ABS de cada roda. Em resumo, nunca foi tão fácil fazer off-road: basta apontar o volante para onde se deseja ir!
Avaliação: Primeiro SUV da marca, F-Pace quer ser o Evoque da Jaguar
Outra sacada do F-Pace está na Activity Key, uma pulseira que parece aquelas de medir frequência cardíaca, mas sua função é outra: travar e destravar as portas, permitindo deixar a chave original dentro do carro. Assim, o dono deste Jaguar pode, por exemplo, pegar uma praia e até surfar com a chave-pulseira (ela é à prova d'água). Ela também é útil para corridas, quando a pessoa não quer ficar carregando a chave convencional no bolso. O sistema será vendido como opcional no Brasil, mas a Jaguar diz que praticamente todas as unidades vindas para cá terão o dispositivo. Para combinar com tal tecnologia, a cabine do F-Pace nos presenteia com painel de tela TFT totalmente digital e configurável, além de uma novíssima central multimídia chamada InControl Touch Pro, que traz uma tela de nada menos que 10,2 polegadas, além de um processador super rápido e um HD interno de 60 GB. Só que esses "mimos" estão restritos às versões V6 a gasolina. Na 2.0 diesel, o quadro de instrumentos é convencional e a multimídia é a mesma do XE, de 8 polegadas, o que tira um pouco do encanto se comparado às versões de topo. Por falar em XE, o desenho da cabine lembra bastante o do sedã, com direito ao efeito vindo das lanchas Riva na parte superior do painel (uma espécie de borda que nasce nos painéis de porta e acompanha toda a base do para-brisa). O espaço, claro, é bem mais amplo que no XE, com boa acomodação para quatro ocupantes e um porta-malão de 600 litros. O toque de Land Rover fica por conta dos comandos das janelas e retrovisores na parte superior das portas, numa clara homenagem ao Range Rover Vogue. No fim, o F-Pace é isso: um legítimo Jaguar com uma boa dose de Land Rover. Porsche Macan e BMW X4 que se cuidem! Por Daniel Messeder, de Brumadinho (MG) Fotos: Divulgação Viagem a convite da JLR

Ficha Técnica – Jaguar F-Pace R-Sport

Motor: dianteiro, longitudinal, seis cilindros em V, 24 válvulas, 2.995 cm³, compressor mecânico, injeção direta, gasolina; Potência: 340 cv a 6.500 rpm; Torque: 45,9 kgfm a 4.500 rpm; Transmissão: câmbio automático de oito marchas, tração AWD; Direção: elétrica; Suspensão: independente double wishbone na dianteira e traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira; Rodas: aro 19" com pneus 255/55 R19; Peso: 1.820 kg; Capacidades: porta-malas 650 litros, tanque 63 litros; Dimensões: comprimento 4.731 mm, largura 1.936 mm, altura 1.652 mm, entre-eixos 2.874 mm Galeria de fotos:

Seja parte de algo grande