Reação VW: Golf ganhará versões 1.0 TSI e híbrida GTE até novembro

A Volkswagen vai investir em novas versões para o Golf no mercado brasileiro: tanto a 1.0 TSI (nacional) quanto a híbrida GTE (importada) serão lançadas no máximo até novembro, no Salão do Automóvel, garantem fontes ligadas à marca. A primeira, que usa o motor 1.0 TSI que estreou no up!, já é testada no país desde que a VW de decidiu pela produção do Golf VII em São José dos Pinhais (PR). Mas, segundo ouvimos de um informante, a opção pelo motor 1.6 nas versões de entrada veio do marketing, que não acreditava que o brasileiro aceitaria um hatch médio 1.0... O tempo passou, porém, e as baixas vendas do Golf nacional mostraram que a estratégia estava equivocada.
Reação VW: Golf ganhará versões 1.0 TSI e híbrida GTE até novembro
A VW então retomou o projeto do Golf 1.0 TSI, mas não deve matar logo de cara o 1.6. A expectativa é que o 1.0 chegue numa versão específica de apelo energético, como na Europa, onde é vendido como Bluemotion (incluindo grade fechada, pneus "verdes" e outras medidas para redução de consumo). O câmbio será somente manual, o que certamente será um entrave na venda de um carro que não custará menos de R$ 80 mil. Assim, o Golf Bluemotion deverá atuar entre o 1.6 manual e o 1.6 automático, sem aposentar a atual versão de entrada. Para empurrar o Golf, o motor 1.0 com turbo e injeção direta terá calibração específica e alguns componentes diferentes em relação ao up!, gerando cerca de 125 cv e 20 kgfm quando operado com etanol (são 105 cv e 16,8 kgfm no compacto). O câmbio deverá ter seis velocidades, em vez das cinco do up!, para deixar as marchas iniciais mais curtas e, ao mesmo tempo, baixar o giro na estrada com a sexta. Na outra ponta da gama Golf, o GTE deverá fazer sua estreia dois anos depois de aparecer como estudo no próprio Salão do Automóvel, em 2014. Sua grande sacada está no conjunto motriz híbrido, composto pelo motor 1.4 TSI associado ao um motor elétrico que totaliza 204 cv de potência e torque de 35,7 kgfm - força que permite aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 7,6 segundos e velocidade máxima de 222 km/h. De acordo com a norma NEDC, o GTE pode rodar 100 km com 1,5 litro de combustível (66,66 km/l) e tem autonomia, em modo totalmente elétrico, de até 50 quilômetros. No modo combinado, a autonomia chega a 940 quilômetros.
Reação VW: Golf ganhará versões 1.0 TSI e híbrida GTE até novembro
Se o 1.0 TSI tem tudo para abrir a gama (difícil pensar em sobrevida do 1.6 aspirado por muito tempo), o GTE será o Golf mais caro de todos os tempos no Brasil, devendo custar ao redor dos R$ 150 mil - lembrando que ele será importado. Hoje, o Golf GTI 2.0 custa a partir de R$ 123.110. Veja também: VW up! reestilizado chega em fevereiro já como linha 2018

Seja parte de algo grande

Reação VW: Golf ganhará versões 1.0 TSI e híbrida GTE até novembro

Foto de: Redação