Mitsubishi pode não resistir à fraude dos índices de consumo

A divisão automotiva do Grupo Mitsubishi, mais conhecida no Brasil por seus utilitários (como o ASX na foto acima), corre risco de não resistir ao escândalo de fraude nas emissões de 625 mil carros vendidos na Ásia - sendo um terço deles comercializados pela Nissan, que aliás foi quem descobriu a farsa ao ajudar no desenvolvimento da nova geração de modelos urbanos que substituiria os fraudulentos. 
Mitsubishi pode não resistir à fraude dos índices de consumo
A afirmação veio do próprio presidente da companhia, Tetsuro Aikawa, que disse em coletiva realizada no último dia 26 que "está tratando este caso como algo que poderá afetar a existência da empresa". No momento, a Mitsubishi estuda uma forma de compensar os clientes que compraram os carros afetados, explicou o CEO, ainda sem saber exatamente qual será o benefício oferecido. O fato é que as encomendas de veículos da marca caíram pela metade após a divulgação do escândalo, enquanto as ações da empresa recuaram 15% logo no primeiro dia após o baque. Para conseguir níveis melhores de consumo, a Mitsubishi alterava a pressão dos pneus dos carros para participar dos testes. Clique aqui para saber os detalhes.

Seja parte de algo grande