Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão

Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
O MINI Cooper S sempre foi um carro descolado. Nesta nova geração, evoluiu em tamanho e qualidade, mas manteve em seu DNA aquela genética derivada dos karts. Agora, chega ao Brasil o modelo que acrescenta ainda mais diversão ao volante: o S Cabrio. Maior e mais refinado, desembarca como o conversível “legítimo” mais barato do país. Baixe a capota e venha com a gente nesta avaliação sem teto!
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão

O que é?

A nova geração do Cooper S Cabrio chega ao mercado nacional em versão única, trazendo conjunto mecânico que empolga na primeira acelerada, pacote de equipamentos recheado e boa dinâmica para um carro conversível. Assim como o hatch, o S Cabrio traz importantes aprimoramentos em relação à geração anterior. A base de toda a evolução está na nova plataforma ULK, que tornou o modelo 98 mm maior no comprimento (3,85 metros), 44 mm na largura (1,72 m) e 1 mm na altura (1,41 m). Somado ao aumento de 28 mm no entre-eixos (2,495 m), passa a entregar mais conforto para os ocupantes, até mesmo para quem vai atrás, com os 36 mm adicionais para os joelhos. No porta-malas há espaço apenas para bagagens leves, pois são apenas 160 litros de capacidade.
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
Rebelde, o S Cabrio segue na contramão da tendência atual e, ao invés do downsizing, ganha o novo motor 2.0 TwinPower Turbo no lugar do antigo 1.6, entregando 192 cv de potência e torque de 28,6 kgfm disponíveis a partir de míseros 1.250 rpm. Sobrealimentado, tem injeção direta de combustível, comando de válvulas variável (duplo-Vanos) e sistema de variação do tempo de abertura das válvulas (Valvetronic). Associado ao câmbio automático de seis marchas e tração dianteira, conta com a função "controle de largada" para otimizar a aceleração e a tração no momento da partida.
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
Por dentro, o conversível é praticamente idêntico ao irmão hatch, trazendo o característico painel horizontal com a central de informações ao centro destacada por um aro em LED que altera de cor conforme o ajuste de condução. Numa tela LCD de 8,8” de alta definição, exibe os mapas em 3D do sistema de navegação, mais o sistema de som e as configurações do carro. As teclas no melhor estilo aviação também estão presentes, com destaque para o comando de partida do motor, na cor vermelha. O cluster tradicional, com mostradores analógicos, ganha reforço de um head-up display que exibe a velocidade, nível de combustível, temperatura externa e informações de orientação do GPS.
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
Obviamente, o principal destaque do Cabrio S é o novo teto retrátil revestido de tecido. Por meio de um botão na parte superior do para-brisa, precisa de apenas 18 segundos para ser aberto ou fechado totalmente. E isso pode ser feito com o veículo se movimentando a até 30 km/h. Também tem a opção de abrir apenas a seção frontal da capota, em qualquer velocidade. A marca destaca ainda que a estrutura da capota recebeu melhorias no isolamento térmico e acústico em comparação ao antecessor.

Como anda?

Se tem uma coisa que curto são os carros que entregam um sabor bem definido ao volante. E o MINI Cooper é um deles. Tanto na versão hatch quanto nesta conversível, a pegada de condução inspirada nos karts se faz presente o tempo todo. A direção elétrica afiada responde rapidamente aos pedidos do volante, que tem boa pegada. A posição de dirigir é esportiva, baixa e com bancos que, além de confortáveis, seguram bem o corpo já prevendo curvas mais provocativas. Não há pontos de controvérsia na qualidade dos materiais e montagem do acabamento. A ergonomia também é bacana, com a sensação de que todos os comandos estão em seus lugares corretos. Pelo preço, porém, faz falta os ajustes elétricos dos bancos. Outro ponto negativo é a visibilidade traseira reduzida por conta da “janela” de plástico. É o dilema do conversível: visão reduzida com a capota fechada, mas total com ela aberta. O roteiro do test-drive incluiu trecho urbano limitado, mas foram praticamente 200 km em rodovia. Na cidade, é até um pleonasmo dizer que o carrinho é ágil, se move com tranquilidade entre as brechas do trânsito e chama a atenção por onde passa, principalmente na cor Verde Caribbean Aqua - exatamente como você vê nas fotos. Na estrada, é preciso ter muito sangue frio para dirigir dentro dos limites legais. Qualquer reta é um convite para uma pisada com gosto no acelerador, que responde imediatamente te empurrando contra o banco. A troca de faixas é feita como se fosse brincadeira, dada a agilidade do carro, enquanto as curvas são devoradas com tranquilidade. Basta apontar e ir, simples assim. Na velocidade máxima permitida, o ruído do vento nos lembra que o teto é uma capota de tecido, mas não é algo que incomode. Também agrada a rigidez e torções da carroceria, que embora não seja a mesma da versão com teto, mostra que trabalho da engenharia foi bem feito, com os reforços localizados nas partes dianteira, traseira e embaixo da carroceria.
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
Também são interessantes os modos de condução: Green, Mid ou Sport. Aprecio isso porque é possível variar a pegada do carro de acordo com seu humor ou situação. No dia que está mais tranquilo ou você sabe que o bicho vai pegar no trânsito, já coloca no modo Green para baixar a bola do carro e rodar de modo mais econômico. O segundo modo, o Mid, é o intermediário, que já faz o carro andar quase com agilidade máxima para um dia de vias mais abertas e vazias. Já o terceiro, o Sport, é para aquele dia ou momento que se quer deitar os cabelos, literalmente. Nesta opção, o carro muda o seu temperamento e fica mais arisco, na qual faz mais sentido o uso das borboletas no volante. Também são alterados padrões dos controles dinâmicos de estabilidade e tração, e da suspensão adaptativa. Pesando 1.295 kg, exatos 120 kg a mais que a versão com carroceria fechada, o Cooper S Cabrio tem a diversão garantida pela relação peso/potência de 6,7 kg/cv. Isso permite atingir os 100 km/h em apenas 7,1 segundos, enquanto a velocidade máxima declarada é de 228 km/h.

Quanto custa?

Antes de torcer o nariz e começar a tecer uma lista de carros possíveis com preço semelhante, seja um sedã médio premium ou um hatch alemão, é preciso entender a essência do MINI Cabrio. É o tipo de carro com grande apelo emocional e criado para quem quer curtir um estilo exclusivo a céu aberto. A marca sabe muito bem disso, tanto que a expectativa é fechar o ano com somente 70 unidades vendidas - e chegar a 130 em 2017.
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
Em versão única, o MINI Cabrio S é oferecido por R$ 164.950. Bem recheado, traz faróis Full LED, faróis de neblina de LED, rodas exclusivas de 17 polegadas, sistema de som Hi Fi Harman/Kardon com 12 alto-falantes e 410 watts de potência, controles dinâmicos de estabilidade e tração, controle de velocidade cruzeiro com função freio, ar-condicionado automático digital de duas zonas, suspensão adaptativa, câmera de ré, sensores de estacionamento traseiro, de chuva e crepuscular, quatro airbags, fixação para assentos infantis tipo ISOFIX, retrovisor interno eletrocrômico, bancos de couro e volante esportivo John Cooper Works com borboletas. Para ajudar o motorista a não ser pego de surpresa no caso de uma chuva a caminho, a MINI disponibiliza o aplicativo RainWarner, parte integrante do MINI Connected, que envia avisos quando há previsão de chuva no local onde você se encontra e o carro está com a capota aberta.
Volta Rápida: MINI Cooper S Cabrio abre as possibilidades de diversão
O Cabrio vem equipado ainda com um sistema de proteção de capotamento com atuadores conectados eletronicamente aos dispositivos de segurança do veículo. No caso de uma emergência, assim que os sensores detectam o risco de tombamento, duas barras de proteção feitas de alumínio de alta resistência, posicionadas atrás dos bancos traseiros, se elevam instantaneamente para proteger a cabeça dos ocupantes. Como opcionais, a marca oferece a capota MINI Yours Union Jack (customização com a bandeira do Reino Unido em cinza), faixas decorativas para capô nas cores preto ou branco, capas dos espelhos retrovisores externos em preto, branco ou na cor do veículo, e bancos em couro Lounge Cinza Satellite ou Chester Maltg Browne (marrom) além do Park Assist. Se vale a pena? Quem gosta de um carro ligeiro, de personalidade e de curtir o sol no rosto enquanto dirige, certamente vai encontrar isso no MINI Cabrio. É só renovar o estoque de protetor solar, preparar os óculos de sol e cair na estrada. Ficha técnica  Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 1.998 cm3, 16 válvulas, duplo comando variável, injeção direta e turbo de duplo fluxo; Potência: 192 cv a 6.000 rpm; Torque: 28,6 kgfm de 1.250 a 4.700 rpm; Transmissão: câmbio automático de seis marchas, tração dianteira; Direção: elétrica; Suspensão: Independente Mac Pherson na dianteira e multilink na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS; Rodas: aro 17″ com pneus 205/45 R17; Peso: 1.295 kg; Porta-malas: 160 litros; Dimensões: comprimento 3.850 mm, largura 1.727 mm, altura 1.415 mm, entreeixos 2.495 mm;

Fotos: MINI Cooper S Cabrio 2017

Seja parte de algo grande