Paris: Renault Mégane Sedan aposta em tecnologia e visual "mini-Talisman"

Junto a outros lançamentos importantes como a nova geração do Koleos, a Renault apresenta no Salão de Paris o renovado Mégane Sedan. Sucessor do Fluence, o modelo mantém a identidade visual fiel ao hatchback e chama atenção pela traseira inspirada em sedãs maiores - o que lhe rendeu o apelido de "mini-Talisman". As apostas da marca se concentram especialmente no visual e no nível de tecnologia embarcado, com destaque para a gigante tela multimídia no centro do painel. LEIA TAMBÉM: Segredo: Novo Renault Mégane Sedan virá ao Brasil, mas “no momento certo” Como já dito, a dianteira mantém os principais traços do design já vistos no hatchback e a traseira traz como grande destaque as lanternas horizontais que dominam praticamente toda a tampa do porta-malas. Na comparação com o Fluence, o modelo é 2 cm mais longo, 2 cm mais largo e 1 cm mais comprido no entre-eixos. Internamente, o painel segue a mesma receita do Mégane: novo cluster com velocímetro digital no interior do conta-giros e central multimídia com formato de iPad. Dependendo do mercado, o sedã terá duas opções de motores a gasolina (SCe 115 e TCe 130) e três turbodiesel (dCi 90, dCi 110 e dCi 130). O SCe 115 será associado ao câmbio manual de cinco marchas ou automático CVT. O dCi 130 e o TCe 130 estarão disponíveis com a caixa de dupla embreagem EDC. Produzido em Bursa, na Turquia, o Megane Sedan será vendido em 20 países ao redor do mundo, a maioria no norte da África e Europa. No caso do Mercosul, o antecessor Fluence continua sendo produzido na Argentina e sites locais afirmam que a Renault já estuda a produção local do Megane, embora ainda não haja nada oficial. Galeria Novo Mégane Sedan: Fotos: Daniel Messeder, de Paris Viagem a convite da Anfavea

Seja parte de algo grande