Músculos contra a parede: muscle-cars são destruídos em testes do IIHS

O IIHS, instituto norte-americano de segurança rodoviária, fez uma rodada de testes que, na prática, destruiu sonhos de muita gente. Depois de fazer alguns SUVs passarem vergonha, agora foi a vez de colocar à prova outros queridinhos do mercado norte-americano: os muscle-cars. Antes de prosseguir, vale a pena destacar que as imagens são fortes para os apreciadores dos três ícones americanos: Chevrolet Camaro, Dodge Challenger e Ford Mustang. Todos, nas versões equipadas com motores V8, foram submetidos a uma bateria completa de testes de colisão e resistência. O resultado foi que os três ficaram aquém do limite para obter o Top Safety Pick (TSP), índice máximo de segurança dado pelo instituto. Apesar do IIHS não ter costume de testar carros esportivos, decidiu promover estes testes por causa de informação de outro instituto americano, o Highway Loss Data Institute, que apontou aumento da taxa de acidentes com esses modelos.
Músculos contra a parede: muscle-cars são destruídos em testes do IIHS
O esportivo que se saiu pior foi Challenger, o que não é surpresa considerando que ele é significativamente mais antigo do que o Ford e o Chevrolet. Apesar de ter obtido boas classificações nos testes frontais e de colisão lateral, o Dodge obteve índice apenas aceitável nas métricas que avaliam a resistência do teto e apoio de cabeça/bancos, e marginal no mais difícil, o de impacto frontal parcial (small-overlap).
Músculos contra a parede: muscle-cars são destruídos em testes do IIHS
O Mustang, que foi renovado em 2015, e o novo Camaro se saíram melhor. O Ford só perdeu uma exigência para obter o TSP, ganhando a classificação aceitável no teste impacto frontal parcial (small-overlap). Já o Chevrolet ganhou classificação boa no teste mais rigoroso, mas foi avaliado como aceitável na resistência do teto e não oferece um sistema de alerta de colisão frontal.
Músculos contra a parede: muscle-cars são destruídos em testes do IIHS
Para levar para a casa o prêmio Top Safety Pick, são exigidas classificações no mínimo boas em todos os testes de colisão, além da obrigatoriedade de um sistema de alerta para colisão frontal iminente. Adicionado em 2012, o teste de colisão frontal parcial (small-overlap) replica o que acontece quando um veículo sai da estrada e bate uma árvore, em um poste ou até em outro veículo de forma frontal, mas parcial. No teste, 25% da largura total do veículo atinge um barreira rígida do lado do condutor a 64 km/h. Para o IIHS, o teste é um dos mais rigorosos porque envolve as bordas externas de um veículo, que não estão bem protegidas pelas estruturas da zona de esmagamento. Assim, a energia da colisão vai diretamente para a roda, suspensão dianteira e parede corta-fogo. O vídeo a seguir mostra de forma bem clara como o carro e os ocupantes sofrem em uma colisão deste tipo.

Vídeo: crash-test dos muscle cars americanos

https://www.youtube.com/watch?v=XLeP2icw-9c

Seja parte de algo grande