Suzuki apresenta novas esportivas GSX-R1000 e GSX-R1000R

Aproveitando o seu conhecimento adquirido no MotoGP, a Suzuki apresenta a nova geração das supermotos GSX-R1000 e GSX-1000R. Uma prova de que eles levaram a sério é quem foi escolhido para ser o engenheiro-chefe do projeto: Shinichi Sahara, gerente de projetos e técnico na MotoGP. Para começar, a estrutura é totalmente nova e feita em alumínio com 10% menos peso que a anterior. Com 20 mm a menos em sua largura total e mais rígida, a nova R1000 é mais fácil e leve de pilotar e conduzir. Ali dentro, um novo motor de 4-cilindros de 999,8cm² que produz 202 cv aos 13.200 rpm com novos pistões, anéis e válvulas, feitas em titânio. O SR-VVT, um variador de fase do comando de válvulas, é mais leve que os sistemas convencionais, colaborando na redução de peso e fornecendo força em baixas rotações e potência em altas. O motor também é menor e mais inclinado, o que colaborou nos ajustes do chassi.
Suzuki apresenta novas esportivas GSX-R1000 e GSX-R1000R
Eletronicamente, um sistema de injeção no topo do corpo de borboletas individuais, e diversos sistemas para a pilotagem. Vindo do MotoGP, o controle de tração possui 6 sensores e 10 modos de operação, selecionáveis pelo piloto, que agem diretamente nas respostas de acelerador e do motor em entrega de aceleração. O sistema de freios com ABS faz a leitura do ângulo de curva para também ajustar automaticamente a frenagem. As trocas de marcha são feitas sem embreagem, através de sensores que atrasam ou adiantam a ignição no momento da redução ou subida de marcha. Na R, há o controle de largada. A suspensão é totalmente regulável, da Showa, em ambas as rodas. Nos freios, sistema Brembo e, na carenagem, inspiração no MotoGP e computador de bordo completo.

Seja parte de algo grande