Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost

Carros topo de linha têm a missão de ser a vitrine de tecnologia de suas marcas. Eles são os responsáveis por estrear muitos dos recursos que chegarão aos modelos mais baratos no futuro. Veja o caso do novo Edge: a segunda geração do crossover acaba de estrear no Brasil com atrações como cintos de segurança infláveis no banco traseiro (pela primeira vez no país), tampa do porta-malas que abre com o pé (isso mesmo) e uma série de sensores que deixam a condução quase autônoma. Uma verdadeira "nave", como dizem por aí. Tabelado a R$ 229.900, vem importado do Canadá para ocupar o posto de produto flagship da Ford por aqui. Exceto por um detalhe: cadê o motor EcoBoost?
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
A linha EcoBoost contempla os motores mais modernos da Ford, com turbo e injeção direta. Não que o V6 de 3,5 litros e 284 cv deste Edge deixe a desejar em desempenho (0 a 100 km/h em 9,2 segundos), a questão é mais sobre eficiência: em nossas medições de consumo, o crossover fez 5,7 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada. Ainda que o consumidor desse tipo de carro não esteja muito preocupado com a conta do posto, a autonomia fica prejudicada. E, mais do que isso, rivais de marcas premium como Land Rover Discovery Sport e Volvo XC90 trazem propulsores 2.0 turbo de 4-cilindros com injeção direta, mais eficientes. Nos EUA o Edge é oferecido com motor 2.0 Ecoboost (245 cv) e 2.7 EcoBoost (315 cv), além do V6 aspirado que vem para cá. A opção de trazer o aspirado que já equipava a antiga geração certamente teve a ver com custos.
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
Dito isso, o restante do novo Edge é quase todo sobre elogios. Para compensar o fato de ser de uma marca generalista brigando entre as tops, a Ford lotou o crossover de equipamentos. Os bancos dianteiros, por exemplo, são elétricos e podem ser aquecidos ou resfriados. A coluna de direção tem regulagem elétrica. O quadro de instrumentos é composto de três seções, sendo as laterais com telas totalmente configuráveis, que mostram diversas funções do veículo e trajeto. Na grade dianteira há uma câmera 180 graus para ajudar a sair de garagens e visualizar melhor os cruzamentos. E quando você chegar ao carro carregado, não precisa deixar as compras não chão para abrir o porta-malas. Basta estar com a chave no bolso e passar o pé debaixo do para-choque para que a tampa elétrica se eleve automaticamente - para fechá-la, basta repetir o procedimento.
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
Ao rodar, o Edge segue mimando seus ocupantes. O espaço interno é farto e os bancos são grandes e aconchegantes, tipicamente norte-americanos. A suspensão trabalha macia e suave, de modo que você acha que recapearam o asfalto da cidade toda. Curioso é que a unidade testada por nós pareceu mais confortável que o carro que andamos durante o evento de lançamento, em Campos do Jordão (SP). Mesmo em valetas mais profundas e pisos ondulados, o Fordão absorve bem os impactos. O câmbio automático de seis marchas também faz trocas suaves, enquanto o motor V6 é bastante silencioso. Ele só se faz ouvir (e ronca bonito) quando mais exigido, o que se faz necessário para embalar o Edge nas ultrapassagens, pois o torque máximo só surge a elevadas 4 mil rpm.
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
Falando em acelerar, o Edge exibe uma tocada precisa para um crossover deste tamanho e peso. A direção é surpreendentemente direta (sua relação varia de acordo com a velocidade) e a carroceria revela bom controle em altas velocidades e curvas - é mais firme do que podemos julgar pelo estilo do carro. As rodas aro 20" também ajudam na estabilidade, mas é a eletrônica que se destaca. Como na Ranger Limited, o Edge Titanium vem com piloto automático adaptativo (capaz de frear sozinho ao se deparar com veículo em menor velocidade à frente), faróis com facho alto automático (voltam para o facho baixo ao cruzar com outro veículo) e alerta de saída de faixa.
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
O mais legal deste último é ser capaz de trazer o volante sozinho para dentro da pista, ao detectar que o carro está invadindo a faixa. "O recurso é útil não só em situações de distração como também no conforto do motorista em longas viagens, pois ajuda a movimentar o volante nas curvas", reparou o diretor Fábio Trindade, que rodou mais de 1.000 km em dois dias com a família. Ele voltou elogiando o conforto, o DVD no banco traseiro para distrair a filha pequena (opcional de R$ 5 mil) e o comportamento do crossover nas curvas da serra, mas achou o consumo um tanto alto. "Se acelerar ele vem fazendo 6,5 km/l".
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
Na pista, o Edge mostrou freios potentes: vindo a 100 km/h, o crossover parou completamente em apenas 37,2 metros - marca melhor que a de muitos carros menores e mais leves. A segurança, aliás, é um dos pontos fortes. Além dos itens tecnológicos já citados, o modelo tem tração 4x4 com distribuição eletrônica entre os eixos (inclusive com display no painel), controle de estabilidade com sistema anti-capotamento e oito airbags (frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista e passageiro). Para completar, o Edge traz alguns itens conhecidos do Focus, como a central multimídia Sync 2 com tela de 8 polegadas e o Park Assist, que estaciona sozinho em vagas paralelas ou perpendiculares.
Teste CARPLACE: Vitrine de tecnologia da Ford, novo Edge deve o Ecoboost
Lançado no Brasil em 2008 como uma espécie de SUV do Fusion, o primeiro Edge logo conquistou público cativo, mas era "americano" demais. Esta nova geração está mais global, com dirigibilidade para agradar também aos europeus, além do design mais esportivo. Num segmento dominado pela imagem, o novo Edge não tem um logotipo "chique" na frente, mas chega como ótima opção para famílias abonadas que procuram conforto e mimos sem (muita) ostentação. Por Daniel Messeder Fotos: autor e divulgação

Ficha Técnica: Ford Edge Titanium

Motor: dianteiro, transversal, seis cilindros em V, 24 válvulas, 3.496 cm3, gasolina; Potência: 284 cv a 6.500 rpm; Torque: 34,5 kgfm a 4.000 rpm; Transmissão: automática de seis marchas, tração integral sob demanda; Suspensão: Independente McPherson na dianteira e multibraço na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e EBD, Rodas: liga leve aro 20" com pneus 245/50 R20; Peso em ordem de marcha: 2.040 kg; Capacidades: porta-malas 1.110 litros (até o teto), tanque 70 litros; Dimensões: comprimento 4.782 mm, largura 1.934 mm, altura 1.744 mm, entre-eixos 2.850 mm Medições CARPLACE Aceleração 0 a 60 km/h: 4,1 s 0 a 80 km/h: 6,3 s 0 a 100 km/h: 9,2 s Retomada 40 a 100 km/h em S: 6,7 s 80 a 120 km/h em S: 6,4 s Frenagem 100 km/h a 0: 37,2 m 80 km/h a 0: 22,6 m 60 km/h a 0: 12,6 m Consumo Ciclo cidade: 5,7 km/l Ciclo estrada: 9,5 km/l

Galeria de fotos:

Seja parte de algo grande