Será que o elogiado "ônibus do futuro" é mesmo uma farsa?

Será mesmo que o elogiado ônibus do futuro é uma fraude? Ainda é cedo pra dizer que sim, mas a imprensa chinesa tem levantando várias questões sobre a viabilidade do chamado TEB (Transit Elevated Bus), que realizou o seu primeiro teste na semana passada. O conceito foi desenvolvido por uma empresa local e se propõe a ser uma solução para amenizar o tráfego das grandes cidades chinesas. O ônibus é movido a eletricidade tem capacidade para transportar até 300 pessoas, podendo acoplar até quatro TEBs, elevando assim o total para 1.200 passageiros. Leia também: Ônibus que viaja sobre os carros vira realidade na China e desperta interesse do Brasil – veja vídeo
Será que o elogiado "ônibus do futuro" é mesmo uma farsa?
Depois da euforia inicial com a novidade, o teste realizado pela Jinchuang Corp - empresa responsável pela produção do primeiro TEB - deixou muitas perguntas sem resposta. Em primeiro lugar, não simulou condições reais de tráfego, sendo que o ônibus percorreu apenas 300 metros. Além disso, as autoridades da cidade de Qinhuangdao (onde foi realizado o teste) sequer foram notificadas do acontecimento. Também foi questionada a forma como o TEB iria operar, principalmente por causa da altura dos veículos que poderiam passar por baixo, já que o vão livre inferior é de apenas 2,1 metros de altura, distante do limite de altura permitido nas vias chinesas, de 4,2 metros. Piorando a situação, alguns sites chineses afirmaram que o TEB tem recursos vindos de um projeto fraudulento de peer-to-peer lending, conhecido como P2P, que torna possível investidores particulares investirem em empresas de forma independente, sem necessidade de uma instituição financeira. O governo chinês tem combatido fortemente essa modalidade de financiamento.
Será que o elogiado "ônibus do futuro" é mesmo uma farsa?
Não fosse o bastante, contrariando os desenvolvedores do projeto, tanto o governo de Qinhuangdao como a Universidade de Xangai negaram qualquer envolvimento com o TEB. A Jinchuang Corp, por sua vez, diz que vai realizar testes em "condições reais" no ano que vem e que "não há nada de errado com o projeto". Vamos aguardar os próximos capítulos... Fonte: shanghaiist/sixthtone Fotos: China Xinhua News

Seja parte de algo grande