Volkswagen cancela contrato com fornecedor e 100 mil veículos deixarão de ser produzidos

Após frequentes paralisações nas linhas de montagem por falta de peças, a Volkswagen rescindiu o contrato com as empresas fornecedoras do Grupo Prevent. A decisão veio após as linhas de Taubaté (SP), São Bernardo do Campo (SP) e São José dos Pinhais (PR) totalizarem 120 dias de inatividade desde o ano passado. O Grupo Prevent alega que a VW não atendeu os pedidos de ajustes em preços, por isso as paralisações. Para poder voltar a operar, a marca alemã vai à justiça para recuperar ferramentais de sua propriedade que estão em poder da fornecedora. Segundo o Grupo, a decisão da marca alemã foi uma surpresa, já que as negociações entre as diretorias caminhavam para um desfecho bom para ambas as empresas.
Volkswagen cancela contrato com fornecedor e 100 mil veículos deixarão de ser produzidos
Por isso, as fábricas da VW entram em férias coletivas dos trabalhadores. Em Taubaté (SP), onde são feitos up!, Gol e Voyage, a produção foi suspensa de 8 a 12 de agosto, com férias marcadas a partir do dia 15 até 5 de setembro para 4.000 trabalhadores. São José dos Pinhais (PR), que é responsável pelo Fox, SpaceFox, Golf e Audi A3 Sedan e Q3, deveria ter voltado no dia 8, o que não aconteceu. Um lote de 120 unidades dos modelos da Audi serão montados entre os dias 10 e 12, mas a partir do dia 15, 2.600 funcionários entram em férias de 30 dias. Em São Bernardo do Campo (SP), de onde saem Jetta, Saveiro e Gol, os 5.000 metalúrgicos terão férias a partir de 16 de agosto. No total, a VW estima que 100.000 veículos deixarão de ser fabricados com esta falha do Grupo Prevent. A fábrica de motores de São Carlos (SP), com a paralisação das linhas de autos, colocou 80% do deu efetivo de férias por 20 dias a partir do dia 16. Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande