Versão com visual invocado é a mais em conta da gama

Com cada vez menos carros manuais na faixa de R$ 80 mil para cima, a estreia do Civic Sport soa como um alento aos entusiastas: tabelado a R$ 87.900, ele tem motor 2.0 aliado ao câmbio manual de seis marchas, e faz a porta de entrada da nova linha Civic 2017. Para quem não abre mão do conforto da transmissão automática, existe também o Sport com câmbio CVT, a R$ 94.900. Aceleramos os dois num bate-e-volta da capital para o interior paulista e conta agora as primeiras impressões.

O que é?

O Civic de nona geração tinha como versão de entrada a LXS com motor 1.8, descontinuada nesta décima encarnação. Em seu lugar, a Honda quis oferecer um carro com mais apelo ao publico jovem. Nasceu então o Sport, com acabamento preto na grade dianteira (cromada nas demais versões) e rodas escurecidas. O motor é sempre o 2.0 conhecido do antigo Civic, com injeção flex e que gera 150/155 cv de potência e 19,3/19,5 kgfm de torque.

 

Honda Civic Sport 2017

 

A novidade fica por conta das transmissões: a caixa manual de seis marchas é basicamente a mesma do HR-V (versão que quase não existe), mas com relações específicas, enquanto o CVT entrou no lugar do antigo automático de cinco velocidades, com direito a borboletas no volante para trocas manuais - o CVT simula sete marchas em modo manual.

 

Honda Civic Sport 2017

 

Por dentro, o Sport é o mais despojado dos Civics, mas ainda assim traz bom padrão para a categoria: o painel tem a parte superior macia ao toque e uma superfície texturizada em cinza escuro dividindo as partes inferior e superior da peça, enquanto o volante é o mesmo das versões mais caras, revestido de couro. Os bancos são de tecido, mas com um revestimento bacana, que combina com o estilo esportivo do modelo, além de a forração e os plásticos internos serem na cor preta, para ambientar a cabine. O quadro de instrumentos também é mais simples, sem a tela de TFT dos modelos de topo. O velocímetro digital fica numa tela de LCD dentro do conta-giros, com boa visualização.

 

Honda Civic Sport 2017

 

Qualidade de montagem e acabamento seguem o (bom) nível do novo Civic, com superfícies agradáveis ao toque e uma boa porção de tecido nas portas. O Sport também mantém os principais itens de série da gama, como ar digital, seis airbags, volante com comandos do som e do piloto automático, controle de estabilidade com vetorização de torque e fixação Isofix para cadeirinhas infantis, entre outros itens. Apenas o sistema de som poderia ser mais completo: é uma telinha não sensível ao toque, e apenas com Bluetooth e câmera de ré - sem sensor de estacionamento.

Como anda?

Iniciamos o test-drive, claro, pela novidade. Estava ansioso para dirigir um Civic com câmbio manual. E o conjunto atende às expectativas: a caixa tem alavanca pequena com engates curtinhos e precisos, enquanto a embreagem tem o peso correto - leve, sem abrir mão da sensibilidade. Além disso, os pedais estão em ótima posição para o punta-tacco, como no Civic Si da geração anterior. Para um carro que teve a posição de dirigir rebaixada e ganhou bancos com desenho esportivo, o câmbio manual parece mesmo uma boa pedida.

Logo que chega a estrada e a velocidade aumenta, o Sport mostra as qualidades do novo Civic. Estrutura, suspensão e direção sobram para este motor 2.0. O sedã roda com conforto e solidez, isolando quase que por completo o ruído do motor - que se apresenta somente em altas rotações, para divertir um pouco. A Honda fez um excelente trabalho no handling desta décima geração, proporcionando uma agradável sensação de controle mesmo sob tocada forte. O resultado é um sedã bastante afiado, com uma direção bem rápida (ela tem relação variável e apenas 2,2 voltas entre batentes) e uma suspensão que alia a dianteira McPherson com buchas hidráulicas (que ajudam a isolar a cabine das imperfeições do piso) ao sistema multilink na traseira. O Civic consegue passar macio e silencioso em ruas ruins, como uma via de paralelepípedos que havia no caminho, e apresentar baixa rolagem da carroceria em curvas velozes. Mesmo forçando, a entrada do controle de estabilidade é progressiva e não "mata" a diversão.

 

Honda Civic Sport 2017

 

Câmbio de engates curtinhos, pedais bem posicionados, direção rápida, suspensão equilibrada... O Civic manual está pronto para receber o motor 1.5 turbo, como existe nos EUA e na Europa, mas por aqui esse é um sonho distante. Isso porque, explica a Honda, o 1.5 turbinado é inteiramente importado (sai caro) e a baixa procura de uma eventual versão manual turbinada não justificaria o investimento.

Com motor 2.0, bem, o Civic não decepciona, mas também não empolga. A questão é que o motor 2.0 aspirado só entrega seu torque máximo de 19,5 kgfm a 4.500 rpm, e é nítido como o carro ganha fôlego ao superar os 4 mil giros. Para uma condução, digamos, mais animada, o lance é manter o motor trabalhando daí para cima - no que contribui o câmbio gostoso de manejar. Não que falte força em baixas rotações, mas depois de dirigir a versão 1.5 turbo (ou mesmo alguns rivais turbinados) percebe-se que o 2.0 aspirado não faz frente aos downsized com "caracol". Ao menos o câmbio de seis marchas tem as primeiras relações curtas, para agilizar as saídas, e a sexta para baixar o giro na estrada - ela é overdrive, sendo a velocidade máxima obtida em quinta.

 

Honda Civic Sport 2017

 

Na volta, trocamos o Civic manual pelo CVT e, acredite, a performance é quase a mesma. A caixa variável tem como virtude aproveitar o máximo da força do propulsor e ainda deixar o giro bem baixo em velocidades de estrada - de 2 mil a 2,5 mil rpm. Junte isso a opção de trocas manuais por borboletas e vemos porque hoje o câmbio automático é maioria absoluta nas vendas de sedãs médios. O Civic manual é bom, mas o CVT também é "redondinho".

Quanto custa?

Por conta do nome Sport os desavisados podem achar que este Civic teria o motor mais potente da linha, mas a proposta é apenas se diferenciar no visual e atrair um cliente mais jovem para o sedã - no que ajuda o design invocado desta décima geração. De fato, o Civic Sport tem mais apelo que o antigo LXS e ganha no motor 2.0 contra 1.8, além de ter ficado cerca de 35 kg mais leve apesar da carroceria maior.

 

Honda Civic Sport 2017

 

A Honda trabalha com um mix de 24% para a versão Sport dentro da gama Civic, sendo no máximo 5% com câmbio manual. Quase sem rivais (apenas o C4 Lounge 1.6 THP e o Corolla 1.8 oferecem câmbio manual neste segmento), o Sport tem tudo para ter uma participação maior, principalmente por se tratar do Civic mais em conta - único abaixo de R$ 90 mil. Para os entusiastas, a boa notícia é que o Civic deverá avançar mais no lado esportivo. Quando questionei porque não haver opção da cor vermelha para o Sport, a resposta foi um animador "espere um pouco mais". Os novos Civic Si e Type R estão para ser apresentados. Vamos torcer pela vinda de ao menos um deles.

Por Daniel Messeder, de Guararema (SP)
Fotos: Divulgação/Donizetti Castilho

FICHA TÉCNICA
  Civic Sport MT  Civic Sport AT
Motor dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, comando simples variável na admissão, flex dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, comando simples variável na admissão, flex
Cilindrada 1.997 cm3 1.997 cm3
Potência 150/155 cv a 6.300 rpm 150/155 cv a 6.300 rpm
Torque 19,3/19,5 kgfm a 4.700/4.800 rpm 19,3/19,5 kgfm a 4.700/4.800 rpm
Transmissão manual de 6 marchas automática CVT com simulação de 7 marchas
Tração dianteira dianteira
Direção elétrica com relação variável elétrica com relação variável
Suspensão McPherson na dianteira com buchas hidráulicas e multilink na traseira McPherson na dianteira com buchas hidráulicas e multilink na traseira
Freios discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e EBD discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira com ABS e EBD
Rodas liga leve aro 17 com pneus 215/50 R17 liga leve aro 17 com pneus 215/50 R17
Peso 1.275 kg 1.285 kg
Porta-malas 525 litros 525 litros
Tanque 56 litros 56 litros
Comprimento 4.637 mm 4.637 mm
Largura 1.800 mm 1.800 mm
Altura 1.433 mm 1.433 mm
Entreeixos 2.700 mm 2.700 mm
Preço R$ 87.900 R$ 94.900

Seja parte de algo grande