Visual é inspirado no modelo europeu

Sob a teoria de "redescobrimento da marca", a Renault chega ao Salão do Automóvel com três novidades para o segmento do momento, os SUVs. Um dos destaques é o Captur, versão nacionalizada do modelo europeu que será posicionado acima do Duster em preço, equipamentos e dimensões.

Além de visual com elementos Renault (o Duster é filhote Dacia), o Captur traz itens como controles de tração e estabilidade, partida e abertura de portas via cartão (como o Fluence), assistente de partida em rampa, airbags frontais e laterais, e retrovisores com rebatimento elétrico.

Mas se o europeu é feito em uma plataforma mais atual, do Clio IV, nosso Captur usa a plataforma do Duster, já conhecida pela robustez e espaço interno. O modelo já traz em suas opções de motor o novo 1.6 SCe de até 120 cv, conectado ao câmbio manual ou automático CVT, e o já conhecido 2.0 com câmbio automático em versões de topo.

Para colaborar com o consumo, traz direção elétrica e alternador pilotado, que aproveita desacelerações para recarregar a bateria. Na parte de estilo, investe no uso de duas cores, uma para carroceria e outra para o teto, personalizáveis.

Por dentro, por mais que traga o desenho da Renault, o acabamento ainda é em plástico rígido como o Duster. Ele divide os mesmos comando do ar-condicionado automático e central multimídia do Sandero e Logan, sem transmitir refinamento. A pré-venda do Captur começa junto com o Salão, no dia 10, com site dedicado entrando no ar dia 11, onde o comprador poderá configurar o carro. A chegada às lojas será em fevereiro de 2017.

Fotos: Donizetti Castilho

Seja parte de algo grande