Abeifa revê para baixo projeção de fechamento do ano

Em situação ainda mais dramática que a industria automotiva nacional, que teve queda de 17,7% no acumulado de 2016 se comparado ao ano anterior, as vendas de importados devem despencar 41,5% no fechamento do ano, em relação a 2015.

Representados no Brasil pelas marcas filiadas à Abeifa – Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores -, os veículos importados tiveram 2.639 unidades importadas, queda de 4,2% em relação ao mês anterior. Mas, na comparação com outubro de 2015, o desempenho do setor foi ainda pior, com redução de 33,6% nas vendas.

Considerando as vendas no acumulado, a situação é bastante crítica: as 29.866 unidades importadas entre janeiro e outubro representam queda de 41,5% em relação aos 51.081 veículos licenciados nos primeiros 10 meses de 2015.

 

Discovery Sport

 

Diante deste cenário, a Abeifa reviu as previsões de vendas para 2016: “Com as consecutivas quedas nas vendas mensais dos importadores sem fábrica no País, não nos resta outra alternativa senão rever a projeção de fechamento do ano de 2016, infelizmente para baixo. Devemos comercializar este ano 36 mil unidades, contra as 39 mil unidades projetadas no início do ano. Isso indica claramente que precisamos de medidas emergenciais e de impacto, de modo a reestruturar e manter a rede de concessionárias e, por consequência, no atendimento aos clientes finais”, enfatiza José Luiz Gandini, presidente da Abeifa.

Repetindo um discurso que foi feito durante a apresentação da Kia no Salão do Automóvel, Gandini também voltou a falar sobre a batalha pela redução ou eliminação do "super IPI", ou mesmo a liberação de cotas de importação não utilizadas: “Volto a insistir nos nossos pleitos pelo fim dos 30 pontos percentuais no IPI, para que possamos recuperar especificamente o setor de veículos importados. Mas, por ora, solicitamos ao menos a liberação das cotas não utilizadas por outras marcas”, argumenta Gandini, para quem “sem alteração no Inovar-Auto, não teremos condições de manter os atuais concessionários e, consequentemente, os empregos por eles gerados."

Vale lembrar que nesta segunda-feira (14) a OMC - Organização Mundial do Comércio condenou o protecionismo do setor automotivo brasileiro. A punição é decorrente de dois pedidos de disputa, um da União Europeia, o DS 472 (de dispute settlement, ou acordo de disputa), e um do Japão, o DS 497. Ambos questionam o aumento do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) em 30 pontos percentuais anunciado em setembro de 2011.

 

Volvo XC60 2016

 

Produção local

O total de vendas das empresas que tem produção local (BMW, Chery, Land Rover, Mini e Suzuki ) somou 1.033 unidades emplacadas, redução de 4,7% sobre o mês anterior e impressionantes 85,7% na comparação com outubro de 2015. No acumulado do ano, foram 9.702 unidades vendidas, 73,7% de queda em relação ao mesmo período do ano passado. É importante frisar que boa parte dessa queda se justifica pela saída da Jeep, que não faz mais parte da Abeifa. 

Veja ranking dos mais vendidos:

MODELOS

1. Kia Sportage 516
2. Land Rover Discovery Sport 179
3. Lifan X60 179
4. Volvo XC60 170
5. Kia Bongo 120
6. Kia Cerato 118
7. Kia Picanto 118
8. Suzuki S-Cross 73
9. Kia Sorento 69
10. BMW X5 67   

MARCAS

1. Kia 839
2. Land Rover 835
3. BMW 403
4. Lifan 387
5. Volvo 314
6. JAC Motors 302
7. Suzuki 206
8. Chery 162
9. Mini 133
10. Porsche 75  

Fonte: Abeifa

Seja parte de algo grande