Modelo norte-americano chega com motor 2.0 e câmbio CVT

 

Apresentado apenas como conceito no Salão do Automóvel, o Toyota C-HR estreia na versão produção para os americanos no Salão de Los Angeles. Modelo crucial para a gigante japonesa naquele mercado, ainda mais após a morte da submarca popular Scion, o crossover estreia com estilo arrojado e... mecânica de Corolla. Construído sobre a nova plataforma global da Toyota (TNGA), compartilhada com o novo Prius, o CH-R norte-americano pode ser configurado com tração dianteira ou integral. Disponível nas versões XLE e Premium XLE, o crossover terá rodas de liga leve aro 18", bancos esportivos e tela multimídia de 7".

 

2018 Toyota C-HR

 

Posicionado abaixo do RAV4, o C-HR mede 4,36 metros de comprimento e conta com 2,64 m de distância entre-eixos, sendo ligeiramente maior que seu principal rival, o Honda HR-V (4,29 metros e 2,61 m de entre-eixos). Versátil, o interior possui bancos traseiros configuráveis e uma boa percepção de qualidade, além de um desenho arrojado que combina com a carroceria. Na lista de equipamentos, destaque para o pacote de segurança Sense, que agrega os sistemas de pré-colisão, detecção de pedestres, aviso de saída de faixa e alerta de colisão dianteira com frenagem automática de emergência. A versão de topo pode receber ainda o monitoramento de pontos cegos com alerta de movimentação traseira, útil para sair de ré em vagas de estacionamento Previsto para chegar às lojas no começo de 2017, o Toyota C-HR norte-americano ainda não teve preços divulgados. Como referência, o crossover equipado com tração dianteira custa a partir de £ 26.495 ($ 32.960) no Reino Unido.

 

2018 Toyota C-HR

 

Brasil aguarda...

Bastante aguardado no Salão de São Paulo, o Toyota C-HR apareceu por aqui apenas na versão conceito. A marca tem interesse em vender o modelo por aqui, mas é cautelosa e diz que está "avaliando a reação do público a um modelo que é bastante arrojado". Seria uma ótima oportunidade para brigar no segmento dos SUVs compactos contra HR-V, Renegade, Kicks e companhia. Mas a expectativa mais otimista é para 2018.

Seja parte de algo grande