No maior encontro de carros modificados da América Latina, há espaço para clássicos, modificados e novas tendências

Preparação com até anos de antecedência, muito dinheiro gasto, ansiedade horas antes de começar e muita festa durante. Pode parecer a descrição de um casamento, mas é assim que os participantes do Bubble Gun Treffen se sentem até o primeiro dia do evento. Em sua oitava edição, o maior encontro de veículos modificados do grupo Volkswagen aconteceu nos dias 25, 26 e 27 de novembro, na principal praça de Águas de Lindóia (SP) e atraiu visitantes e expositores do país inteiro - e até mesmo do exterior. 

Fomos acompanhar o segundo dia de exposição. Em um sábado que misturou calor e chuva, estavam posicionados praticamente todos os modelos fabricados pela Volks no país e muitas figuras raras, como Corrado, Scirocco e Polo MK3, geração que conhecemos oficialmente no Brasil apenas na versão sedã. Mesmo com a chuva, que não foi pouca, ninguém tirou o pé, ou as rodas, de suas posições previamente demarcadas.

O VolksPage, clube de proprietários e organizador do evento, vende as vagas por lotes. Quando liberaram o primeiro, ainda em agosto, elas se esgotaram em poucas horas. E isso é apenas um passo para os "loucos" que ali estavam. Há quem tenha virado noites terminando a preparação de seu carros, com processos de pintura e polimento minuciosos, ou motores com acabamento digno de superesportivos. Após a chuva, panos e dedicação para secar a sua "obra de arte".

E isso vale desde os AirCooled, como Fusca, Brasilia, Kombi e Variant, até Passar, Jetta e Golf aos montes em quase todas as suas gerações. Não pense que o ano ou valor do carro é uma desculpa. Há quem gaste até o dobro do valor de mercado do veículos em modificações. Trocas de motor para maiores, como os derivados do Gol BX, a chamada linha quadrada, com mecânica VR6, de 6 cilindros, ou um Golf com o 5-cilindros herdado do Jetta, estão nas listas deste BGT.  

Teve espaço para todo mundo. Clássicos com modificações de época, seguidores do Euro Look, onde rodas largas ficam alinhadas com os para-lamas e o interior é cuidadosamente personalizado, e os Racing, onde itens de pista são trazidos para as ruas, como bancos concha, santantonio e volantes especiais. A Volkswagen levou um estande para o evento, onde mostrou o conceito do Gol GT, estrela do Salão de São Paulo, para dividir a atenção com o clássico Gol GT, em estado de conservação melhor do que zero, avaliado em cerca de R$ 100 mil(!). A Parati EDP, conceito apresentado pela marca no Salão do Automóvel de 1996 com tendências de personalização da época, apareceu no evento como uma das surpresas.

O mercado é agitado no BGT. Há quem venda seu carro durante um evento, como por exemplo uma Parati GLS da geração "bolinha", já equipada com ABS e airbag, negociada por R$ 35 mil. Ou um Jetta saindo acima dos R$ 100 mil... Usado. 

Veja a nossa galeria com alguns dos melhores carros estavam por lá.

Fotos: Leo Fortunatti 

Seja parte de algo grande