Relatório encomendado pela marca antecipa extensão da tecnologia de condução autônoma no quadro econômico do continente até 2050

Considerado um dos mais abrangentes realizados até agora, um estudo feito pela Policy Network sobre veículos autônomos revela impactos bastante consideráveis sobre a economia da Europa nas próximas décadas. Elaborada a pedido da Nissan, a análise prevê que a tecnologia acrescentará 0,15% à taxa anual de crescimento do continente, de modo a injetar nada menos que 17 trilhões de euros na região até 2050.

O relatório prevê também mudanças consideráveis na relação da sociedade com o automóvel e nos quadros da indústrias como um todo. Os maiores ganhos serão em mobilidade e redução de acidentes, explica a empresa.

"Este relatório independente destaca que estamos em meio a uma revolução social e econômica. Ele mostra que a tecnologia autônoma terá um impacto fundamental não só na indústria automotiva, mas em toda a economia europeia e nas sociedades", disse o presidente da Nissan Europa, Paul Wilcox.

A Policy Network também pesquisou como as pessoas pensam que os autônomos poderão beneficiar a sociedade. Dos 6.000 adultos consultados, 58% acreditam que o maior benefício será na mobilidade. Eles também acreditam que os acidentes serão reduzidos, mas só 23% dos consultados cogitaria comprar um autônomo, se eles já estivessem disponíveis. Provavelmente à espera de que as promessas em torno deles se concretizem com gente mais disposta a testá-los.

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande