Sistema está sendo utilizado em Las Vegas de modo experimental e deve chegar a outras cidades

Ainda em fase experimental, uma tecnologia que parece bastante promissora começou a ser utilizada recentemente nos Estados Unidos. Disponível inicialmente para os modelos Audi A4 e Q7, a ferramenta, chamada de Traffic Lights Information (TLI), permite aos veículos se comunicarem com os semáforos. Essa é, segundo a empresa, o primeiro serviço de comunicação entre veículo e infraestrutura viária do mundo, algo que é chamado de V2I (vehicle to infrastructure). E que é um passo importantíssimo a caminho dos carros autônomos.

Implantada pela Audi em parceria com a Traffic Technology Services (TTS) na cidade de Las Vegas, o serviço promete mudar a forma como os motoristas utilizam os semáforos. Os principais objetivos são melhorar o fluxo de trânsito e economizar tempo, sem contar o impacto ambiental ao reduzir o consumo e as emissões dos veículos. 

O sistema equipa todos os modelos A4 e Q7 com Audi Connect produzidos para o mercado norte-americano desde junho de 2016. Atualmente, ele oferece a função "Tempo para Verde", que permite ver se os motoristas pegarão o semáforo verde na velocidade máxima permitida para a via. Se não conseguirem, o sistema mostra o tempo necessário até que a luz verde retorne, permitindo desacelerar paulatinamente. Uma das grandes fontes de perda de energia no automóvel é o uso dos freios. "Em nossos testes, o número de carros que deveriam frear até parar caiu em torno de 20%. Isso economiza tempo para o motorista, além de uma economia de combustível de cerca de 15% registrada no projeto-piloto", diz Michael Zweck, gerente do projeto de Informação de Luzes de Tráfego da Audi.

Restrita a alguns cruzamentos da cidade de Las Vegas (EUA), a tecnologia também deve ser levada para a Europa, onde também já foi testata em Berlim, Ingolstadt, Garmisch-Partenkirchen e Verona. O que impede sua implantação em todo o continente neste ponto é que não há estrutura digital nem padrão de dados unificados. "A tecnologia de tráfego em uso é altamente diversificada, já que a infraestrutura se desenvolveu regionalmente e de forma descentralizada. Estamos trabalhando na harmonização dos dados que foram preparados. Quando isso estiver pronto, poderemos prover o 'Informação de Luzes de Tráfego' também na Europa", diz Zweck.

No Brasil, quem antecipa os faróis verdes ou vermelhos é o motorista atento ao tráfego. Mas ele é cada vez mais raro, o que prejudica a comunicação  M2V, ou "motorista para veículo"...

Fotos: divulgação

 

Seja parte de algo grande