Marcha chinesa promete quatro novos SUVs e dois sedãs nos próximos anos

A Chery está renascendo. Foi assim que o CEO da marca, Luís Cury, definiu o momento da empresa na última coletiva de imprensa do ano realizada em São Paulo. E o primeiro sinal dessa renovação será a aposta em SUVs com uma enxurrada de "Tiggos". Tudo começa pelo Tiggo 2, mostrado no Salão do Automóvel, segue com o Tiggo 7 e depois com os inéditos Tiggo 4 e Tiggo 9.

 

Salão de Automóveis: bem equipado, médio Chery Arrizo 5 chega ao Brasil em 2017

 

A série de lançamentos da Chery começa em fevereiro de 2017, com a produção nacional do menor, o Tiggo 2. Ele será apresentado ao mercado em maio ou junho. Em agosto chegará ao mercado brasileiro o sedã Arrizo 3, e pouco tempo depois, em setembro, será a vez da estreia do novo Arrizo 5. Também para setembro está programada a chegada do Tiggo 2 equipado com câmbio automático CVT, essencial na estratégia da empresa para vender mais.

Na sequência, só SUVs. Em abril de 2018 chegará por aqui o novo Tiggo 7, importado da China, com motores 1.5 turbo e 2.0, ambos a gasolina. Com porte SUV médio, ele irá concorrer com modelos como Hyundai ix35 e Jeep Compass. Em agosto daquele mesmo ano será a vez do Tiggo 9, modelo inédito, com porte de Honda CR-V, segundo Cury, e espaço para sete passageiros. Ainda não há nenhuma imagem do modelo.

Pelos planos divulgados hoje, o portfólio de SUVs da Chery ficará completo somente em 2019, com a chegada do também inédito Tiggo 4, modelo que ainda não apareceu nem mesmo em seu mercado natal.

Sobre as operações da Chery no país, Cury também afastou rumores de que a marca possa sair do Brasil. "Investimos exatamente R$ 1,2 bilhão e reafirmo nossa intenção de ficar por aqui".

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande

Salão de SP: Chery apresenta o Tiggo 2, que será nacional em 2017

Foto de: Redação