Em comunicado, magistrado adverte que veículos afetados pelo escândalo não devem ser desconfigurados antes da recompra

Um juiz federal dos Estados Unidos emitiu nota nesta semana alertando donos de veículos Volkswagen afetados pelo Dieselgate sobre casos de desmonte parcial dos modelos. De acordo com Charles Breyers, o acordo de recompra firmado entre a fabricante e o governo norte-americano não prevê carros danificados e os proprietários, portanto, estão proibidos de promover qualquer tipo de mudança na configuração original do veículo.

A polêmica surgiu depois que o dono de um Golf 2.0 TDI 2010 literalmente depenou seu carro antes da entrega, retirando portas, capô, para-choques, bancos, painel e até airbags, alegando estar cumprindo com os termos estabelecidos no acordo. Isso porque, segundo o proprietário, a Volkswagen exigia que o veículo estivesse “operável”, ou seja, “que pudesse ser impulsionado por seu próprio motor 2.0 TDI”.

A VW logicamente não acatou o argumento do dono metido a esperto e se recusou a receber o carro. Em nota, explicou que não considera operável qualquer veículo "desmontado, sucata, salvado, reconstruído, refeito ou alagado".

Leia também:

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande