Problema no deflagrador das bolsas levou empresa ao maior caso de recall do mundo

Envolvida no maior recall de automóveis do mundo, a Takata poderá ter mais um prejuízo além dos que já teve para substituir as bolsas de air bag de milhares de veículos ao redor do mundo. O governo americano deverá multar a empresa em mais de US$ 1 bilhão por não ter comunicado as autoridades sobre os problemas nos deflagadores assim que tiveram conhecimento deles. Isso, evidentemente, expôs os clientes ao risco por mais tempo do que o razoável. 

A notícia vem do The Wall Street Journal. Segundo o periódico, o governo americano investiga se a Takata deixou de alertar sobre o problema assim que os primeiros casos chegaram ao conhecimento da fornecedora. Por isso, a multa deverá ultrapassar a casa do bilhão de dólares, juntando-se aos outros bilhões que a empresa está registrando como prejuízo em diversos países. A confirmação da punição deverá acontecer até o fim de janeiro de 2017.

Entenda o problema

A Takata fornece airbags para diversas fabricantes de carros ao redor do mundo, inclusive no Brasil. O inflador, dispositivo que "explode" a bolsa no momento do impacto, começou a apresentar corrosão por não ter um absorvedor de umidade para o nitrato de amônio usado na detonação. Enferrujado, o inflador pode soltar pedaços de metal, que funcionam como projéteis. Em outras palavras, como um revólver prestes a disparar bem diante dos ocupantes do carro. 

O recall envolve modelos da Honda, Toyota, Subaru, FCA, Nissan, BMW, Volkswagen e outras marcas ao redor do mundo. No Brasil, atingiu Fit, Civic, Etios, Corolla, Uno e Renegade, entre outros. 

Fotos: divulgação

 

Seja parte de algo grande