Assim como os demais 911, GTS abre mão dos aspirados por eficiência energética

Como se a nova geração do Porsche 911 já não fosse suficientemente divertida, a marca alemã mostrou a versão melhorada do esportivo, a linha GTS. Em poucas palavras, significa mais potência, força e dirigibilidade mais afiada, além de elementos visuais que não estão ali apenas como enfeites.

 

2018 Porsche GTS

 

O 911 GTS estará disponível em cinco diferentes versões: Carrera GTS Coupé e Cabrio com tração traseira (identificado pela faixa preta entre as lanternas), Carrera 4 GTS Coupé e Cabrio com tração integral (com a faixa iluminada) e o Targa 4 GTS. Em comum, eles trazem a carroceria que o 911 traz apenas nas versões 4, mais larga e com maior bitola dos eixos. 

 

2018 Porsche GTS

 

O motor boxer naturalmente aspirado dá seu adeus, para a tristeza dos puristas, e segue os demais 911 ao usar o 6-cilindros boxer auxiliado por turbo. No 3.0, são 450 cv (30 cv a mais do que o 911 Carrera S e 20 cv a mais que o antigo GTS "NA") e 56,1 kgfm de torque em uma "mesa" dos 2.150 a 5.000 rpm. Independentemente do sistema de tração escolhido, o câmbio pode ser manual de 7 marchas ou o PDK, automatizado de dupla embreagem, também com 7 marchas. Em números, a aceleração de 0 a 100 km/h toma 3,6 segundos e a velocidade máxima é de até 312 km/h na versão cupê com câmbio manual. 

Leia também:

A suspensão foi recalibrada e recebeu o sistema adaptativo como item de série. Os cupês ainda são 10 mm mais baixos do que o Carrera S. As rodas de aro 20", com porca central, seguem a mesma cor preta dos detalhes externos do 911 GTS. O spoiler dianteiro e o aerofólio traseiro realmente têm função aerodinâmica, o que os distancia de serem apenas enfeites bonitinhos. Por dentro, há bancos em Alcantara e o pacote Race Chrono, com aplicativo para telemetria em pistas. 

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande

Porsche 911 GTS 2018