Velocidade máxima chega a 250 km/h neste modelo familiar preparado para a briga

Que o Tesla Model S faz sucesso nos EUA você já sabe. Também sabe que ele precisaria de uma nova escala de testes de segurança para poder ser devidamente classificado, que é elogiadíssimo pela Consumer Reports e por aí afora. Mas você provavelmente não sabia que a Tesla quer colocar o sedã em competições. É o que a empresa terá a oportunidade de fazer no novo campeonato EGT, ou Electric Gran Turismo. E a versão escolhida, naturalmente, é a mais forte de todas, a P100D.

 

Electric GT Tesla Model S

 

O modelo de competição do Model S é 500 kg mais leve do que o modelo de série, que pesa 2.234 kg em ordem de marcha. Isso o deixa com 1.724 kg, o que é um bocado para modelos de competição e muito inclusive em comparação com modelos similares, como um BMW Série 5 ou um Mercedes-Benz Classe E. Mas talvez ele não esteja assim tão mal diante dos futuros concorrentes...

 

Electric GT Tesla Model S

 

A velocidade máxima do Model S de corrida é limitada a 250 km/h, já que seus 795 cv (585 kW) seriam capazes de levá-lo a velocidades mais altas. O problema é que, com isso, a carga das baterias acabaria bem mais rápido. E a corrida não levaria muito tempo.

Se não é exatamente um monstro em velocidade final, o Model S EGT consegue ir de 0 a 100 km/h em 2,1 s. O carro é dotado de gaiola de proteção e também de suspensão esportiva, além dos largos pneus, especialmente os traseiros, fornecidos pela Pirelli, e de melhorias no sistema de freios. 

 

Electric GT Tesla Model S

 

A EGT contará com 10 times e 20 motoristas. Será disputada em 7 diferentes circuitos europeus, como Paul Ricard, Barcelona, Assen, Estoril e Nurburgring Nordschleife, assim como 3 corridas nas Américas, só de demonstração, sem valer pontos para o campeonato.

 

Electric GT Tesla Model S

 

As corridas serão limitadas não por voltas, mas por quilometragem. Serão duas baterias por prova, uma de dia e outra de noite, ambas de 60 km. Cada corrida terá 20 minutos de treino e 60 minutos de classificação. Com isso, espera-se que os modelos elétricos ganhem um espaço de desenvolvimento excelente. Em corridas, o grande desafio dos elétricos é não perder desempenho com o aquecimento da fiação e do pacote de baterias. O Model S, no tradicional Lightning Lap da revista americana Car and Driver, acabou indo mal justamente por isso em 2016. Quem sabe a edição deste ano já não traz um Tesla melhorado pela EGT?

Leia também:

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande