Acumulado é de R$ 72,1 bilhões, queda de 11% em doze meses; inadimplência é de 4,7% para pessoa física

Após um 2016 de queda em volume de financiamentos, novembro foi o mês com o melhor resultado do ano na carteira de CDC (Crédito Direto ao Consumidor). Com crescimento de 10,4% em relação a outubro e 6,2% em relação ao mesmo mês do ano anterior, o total de recursos liberados foi de R$ 7,3 bilhões.

Considerando o crédito para pessoas físicas, foram liberados R$ 6,6 bilhões, alta de 10,4% em relação a outubro e de 7,8% em doze meses. Para as pessoas jurídicas foram liberados R$ 717 milhões, volume 7,3% superior ao registado no mês anterior, mas queda de 6,5% na comparação com o mesmo período de 2015.

 

Chevrolet Onix LTZ 2017 x Hyundai HB20 2017

 

“O mercado ainda sente a ausência de consumidores que receiam a aquisição de  bens de maior valor. Esse cuidado está se refletindo na queda do endividamento. Em dezembro,  os volumes – que serão detalhados oficialmente em breve – devem registrar uma leve recuperação, mas ainda muito aquém dos anos anteriores, quando tínhamos um mercado forte”, avalia Gilson Carvalho, presidente da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras).

Mais restrita atualmente, a carteira de leasing teve R$ 194 milhões liberados, 32% a mais que em outubro, mas com queda de 17,4% em doze meses. Desse montante, R$ 158 milhões foram destinados às pessoas físicas (41,1% a mais em relação ao mês anterior). As pessoas jurídicas tiveram R$ 36 milhões liberados, aumento de 5,9% na comparação com outubro, mas uma queda de 65% em doze meses.

 

Novo Fiat Uno

 

Atualmente, o saldo das carteiras de crédito é de R$ 162,8 bilhões, sendo R$ 158,3 bilhões de CDC e R$ 4,5 bilhões de leasing, o que corresponde a 2,6% do PIB, contra 3,1% em 2015. O nível de inadimplência se manteve em 4,7%, mesmo índice de outubro e 0,6% a mais que no mesmo mês de 2015. 

Considerando os bancos associados à ANEF, a taxa de juros média em outubro ficou em 1,76% ao mês e 23,28% ao ano. Para efeito de comparação, os bancos independentes cobram 1,94% e 25,9%, respectivamente. O prazo médio dos financiamentos é de 42,4 meses. 

Fonte: Anef

Fotos: divulgação/arquivo Motor1.com

Seja parte de algo grande