União entre as duas empresas vem sendo ambicionada pelo italiano desde 2015

Apesar de já negada por parte da General Motors, a fusão entre a gigante norte-americana e a FCA ainda vem sendo idealizada por Sergio Marchionne. Conforme relata o portal Business Insider, o CEO italiano deu a entender durante entrevista recente que a união entre as duas empresas agradaria em cheio o presidente Donald Trump.

Leia também:

De imediato, Machionne disse que as negociações estão paradas ("Fomos rejeitados", disse ele sobre à resposta da GM), mas que os planos não foram completamente descartados. O assunto ainda não foi formalmente apresentado a Trump, mas poderia ser abordado "durante uma conversa de bar", sugeriu o executivo.

"Uma negociação deste calibre criaria a maior companhia automotiva norte-americana e o maior conglomerado do mundo no setor. E teria sede nos Estados Unidos", vislumbrou Marchionne. Dentro da nova agenda "Trump's America First", seria um prato cheio para o novo presidente.

Fotos: divulgação 

Seja parte de algo grande