Propulsores terão rendimento superior e níveis mais baixos de emissão da gases

A McLaren anuncia nesta semana o início de um projeto estratégico que prevê o desenvolvimento de uma nova geração de motores a combustão. Parcialmente financiado pelo governo do Reino Unido por meio do Advanced Propulsion Center (APC), o plano conta com a participação de uma série de parceiros, em especial da BMW.

Leia também:

Norteado pela eficiência, o projeto resultará no lançamento de propulsores com maior rendimento, menor consumo de combustível e, consequentemente, índices reduzidos de emissão de gases. A McLaren naturalmente lidera a empreitada, mas conta com a participação de pelo menos seis parceiros: BMW, Grainger, Worrall, Lentus Composites e a Universidade de Bath.

"Estamos jogando com os pontos fortes de todos os nossos parceiros e continuaremos a projetar nossos motores de forma independente", disse Mike Flewitt, executivo da empresa. A marca já levou para casa o prêmio de Motor do Ano, entre outros títulos relacionado à mecânica.

Será que os novos motores vão incorporar novidades como o ciclo HCCI, que a Mazda deve lançar comercialmente em 2018, e a compressão variável, que a Infiniti pretende colocar sob o capô do QX50? Aguardemos...

Fotos: divulgação 

Seja parte de algo grande