Diretor executivo da McLaren diz que a Fórmula 1 não "se tornará um esporte americano da noite para o dia"

Zak Brown, diretor executivo da McLaren, está convencido de que há uma ampla oportunidade para a F1 se expandir na América do Norte, especialmente agora que o Grupo Liberty Media está trazendo seu conhecimento. Ele advertiu, no entanto, que o esporte precisa olhar para outros lugares também.

"Precisamos de outra corrida nos EUA", disse Brown ao Motorsport.com. "Austin tem feito um trabalho excelente, é ótimo que a Haas esteja presente, e certamente será muito bom para a equipe conseguir um piloto americano da linha de frente. E vai ser benéfico o fato do Liberty conhecer tão bem o mercado norte-americano."

"Mas acho que há a necessidade de equilíbrio: ninguém crê que isso se torne um esporte americano da noite para o dia. É apenas um território, mas acho que há muito espaço para o crescimento, como qualquer território no mundo. Nós só precisamos fazer com que o público americano fique mais exposto ao nosso esporte e, sem dúvida, eles vão se apaixonar por ele, assim como praticamente todos os mercados aos quais vamos", acrescentou.

A McLaren anunciou recentemente a contratação do executivo de marketing Ben Priest, que tem a responsabilidade específica de encontrar novos parceiros para a equipe de Woking nas Américas.

"Somos um campeonato global", acrescentou Brown. "E ainda que continuemos a ir a mercados novos e emergentes, o que é ótimo, no final do dia, a América do Norte ainda será o maior e mais importante mercado esportivo. Temos muito espaço para crescimento lá. Então, por mais que devamos continuar expandindo e olhando para novos territórios, temos que nos tornar maiores na América do Norte. Há muita gente lá, TV, economia e um grande mercado esportivo. Acho que a F1 pode ser grande lá com o tempo."

Fotos: Motorsport

Seja parte de algo grande