Robert Kubica revela desejo de pilotar um Fórmula 1 novamente e admite ter recusado chance de teste há três anos

Robert Kubica, confirmado na semana passada para disputar a temporada 2017 do Mundial de Endurance com a ByKolles, quer pilotar um carro de Fórmula 1 novamente e se diz preparado para um teste. Há seis anos, o polonês sofreu um grave acidente em uma prova de rali que quase exigiu a amputação de sua mão direita. Desde então, o piloto vem em um longo processo de recuperação, tendo disputado o Mundial de Rali e, no ano passado, algumas provas em circuitos fechados.

Kubica chegou a fazer testes em simuladores de F1 nos últimos anos - incluindo o da Mercedes - e revelou que recebeu uma oferta para testar um carro da categoria há três anos, mas recusou por não se considerar apto à época.

Agora, entretanto, o piloto acredita estar preparado para andar novamente com um F1, como afirmou em uma entrevista exclusiva para o Motorsport.com.

"Há três anos, ofereceram um teste na F1 para mim, mas naquele momento eu não me sentia confiante o suficiente para fazer um bom trabalho. Sei que chances como essa não aparecem o tempo todo, mas sempre quis ter certeza de minhas condições e do que posso fazer", disse.

"Se eu não tinha certeza, sempre dizia a mim mesmo para esquecer. Minha condição física não é como a de todo mundo e poucos estiveram em situação similar. Cada um reage de uma forma, é algo bastante pessoal", acrescentou.

Questionado diretamente sobre qual seria a resposta se recebesse um convite para testar na F1 hoje, Kubica foi direto: "Sim. Hoje minha resposta seria diferente, eu gostaria de testar um carro de F1. Faz muito tempo desde a última vez, então quero testar meus limites. De qualquer forma, acho que me sairia bem", ressaltou. "Gostaria de sentir a emoção de um F1 novamente. Andei em alguns simuladores e estou convencido de que poderia pilotar em 80% das pistas atuais da categoria. Importante destacar, porém, que uma coisa é participar de um teste, o final de semana de uma corrida é algo totalmente diferente."

Kubica  completou: "Nos meus três últimos anos de F1, consegui atingir um nível muito bom - algo que, creio eu, não consiga repetir no momento. Em 2010, com a Renault, creio que não fiz nada de errado e para chegar a tal nível você precisa trabalhar por anos. No rali, senti falta disso - do tempo que você precisa se preparar para estar no seu melhor - já que tudo foi feito rapidamente."

Futuro no WEC

Kubica acredita que a ida para a ByKolles dará a ele a chance ideal de se colocar em alto nível novamente sem a pressão de lutar por vitórias ou título. O polonês garante, porém, que está preparado para voltar a competir no cenário mundial.

"Sou um piloto que, no passado, trabalhou com grandes profissionais. Hoje, começo um novo caminho e preciso me adaptar às diferentes circunstâncias. Nos últimos anos, recebi muitas propostas para correr, mas sempre quis testar pelo menos uma vez antes de me comprometer a participar de um final de semana. Preciso saber se meu corpo aguenta e não aceitaria sem saber se daria conta. Queria descobrir se enfrentaria dificuldades e como lidaria com problemas. Agora eu me sinto pronto."

"Após o teste de novatos no Bahrein, conferi o ângulo de esterçamento do volante e não tive problemas. Hoje, sei que posso competir a 90%. Os 10% restantes são uma margem que posso alcançar", completou.

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande