Em compensação, o piloto espanhol enfim elogia os carros da temporada 2017

As novas regras introduzidas para a temporada 2017 da F1 resultaram em carros espetaculares, que receberam elogios quase unânimes de todos os envolvidos no esporte. Até mesmo o piloto da McLaren Fernando Alonso, um dos críticos mais abertos dos carros nos últimos anos, admitiu ser fã da nova geração de monopostos.

Leia também:

"A única conclusão é que os carros ficaram bonitos", disse Alonso. "Os carros são definitivamente mais rápidos nas curvas, por isso é bom voltar àquela sensação de downforce nos curvas, e ser capaz de levar o carro um pouco mais perto do limite. 

"Então estou feliz com isso, vi alguns outros carros correndo ao longo da pista, eles parecem muito, muito bem. Estou feliz por isso, estou feliz pelo esporte estar indo na direção certa.

"Eu peço desculpas aos fãs que nos últimos cinco ou seis anos viram carros horríveis."

 

Stoffel Vandoorne, McLaren MCL32

 

O espanhol admitiu, contudo, que as sensações por trás do volante nunca coincidirão com as experimentadas uma década atrás, quando os carros eram muito mais leves e as regras não eram tão restritivas: "As sensações nunca serão as mesmas que em 2004 e 2005 porque os carros tinham uma liberdade aerodinâmica que não temos agora", disse ele.

"Com motores muito diferentes, especialmente com 130 quilos a menos do que o que temos agora e 104 quilos a menos na corrida, então é impossível ter o que tivemos em 2004 em termos de sensação.

"Em termos de tempo de volta, pode ser possível, mas se você colocar esses pneus no carro de 2004 nós estaríamos batendo em 1m14s, ou algo assim, então é diferente."

Mas Alonso diz que o carro deste ano parece um F1 de verdade.

- Gostei do que vi ontem e hoje - continuou o espanhol. "Os carros que eu acompanhei na pista hoje pareciam carros de Fórmula 1. Carros muito bonitos.

"Então esperemos que possamos transmitir esse sentimento aos fãs, às pessoas que vêm para a pista e assistem à TV, para que possam tentar esquecer o que viram nos últimos anos".

Seja parte de algo grande