A novata vendeu mais que a irmã maior em fevereiro e está pouca coisa atrás dela em março

Lançada em setembro do ano passado, a nova geração da Yamaha Neo vem mostrando que o mercado brasileiro estava carente de uma opção mais acessível de scooter. Desde que a Honda parou a produção da Lead 110, a Neo é o modelo mais barato da categoria: R$ 7.990. E suas vendas estão indo bem. 
 
De acordo com os dados da Fenebrave, a nova Neo fechou o mês de fevereiro com 767 unidades emplacadas - mais até que a irmã maior NMax 160, que teve 733 emplacamentos. Em março, faltando três dias para o fechamento do mês, o scooter de entrada da Yamaha está com 871 vendas, praticamente colada na NMax, que tem 888 unidades até o momento.
Yamaha Neo 125
Yamaha Neo 125
 
Na liderança do segmento de scooters, a Honda PCX 150 segue folgada: teve 2.009 unidades em fevereiro e está com 1.906 emplacamentos em março (até o dia 27). Somando as vendas da Neo e da NMax, porém, a Yamaha está conseguindo ficar muito próxima da Honda, em que pese o número bem inferior de concessionárias da marca dos diapasões.
 
Completamente reformulada em relação à antiga Neo 115, a nova 125 se destaca pelo motor com injeção eletrônica que rende 9,8 cv de potência e 0,98 kgfm de torque, mantendo a transmissão automática CVT. O design também mudou bastante, tendo como atração a dianteira com faróis de LED. Na parte mecânica, outra novidade ficou por conta dos freios UBS, que funcionam de forma combinada - o dianteiro é acionado parcialmente quando se aciona o traseiro, para ajudar no equilíbrio da moto nas frenagens.  
 
Fotos: divulgação
 

Seja parte de algo grande

Yamaha Neo 125 2017

Foto de: Redação Brasil