Chevrolet, Toyota e Honda têm representantes no segmento que não são oferecidos por aqui. Conheça-os.

Assim como o segmento de SUVs compactos, o mercado de picapes médias é repleto de opções no Brasil - são pelo menos 8, contando as "meio-médias" Fiat Toro e Renault Oroch. No entanto, ainda há diversas opções legais lá fora que estão longe de desembarcar por aqui e que, eventualmente, poderiam dar uma sacudida legal na concorrência. Na lista abaixo, reunimos 10 exemplos interessantes, incluindo modelos norte-americanos e japoneses, além de um chinês e até um indiano. Confira.

1. Chevrolet Colorado

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Apesar de ser derivada do mesmo projeto que originou a Chevrolet S10 brasileira, a Colorado norte-americana é exclusiva em vários aspectos. Além de nome próprio, o modelo tem dianteira e traseira com elementos inspirados na irmã maior Silverado, e caixas de roda quadradas, de aspecto geral mais robusto e imponente. O interior também muda, com desenho único para painel, volante, console, alavanca de câmbio, quadro de instrumentos, painéis de portas e bancos. Há ainda equipamentos a mais, como conexão Wi-Fi 4G LTE e alerta de colisão. 

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil
Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

A oferta contempla ao todo duas opções de carroceria (estendida e dupla) e três de entre-eixos (incluindo caçamba longa para a versão CD). Os motores 2.5 a gasolina e 2.8 turbodiesel são semelhantes aos da S10, mas há também o 3.6 V6 (que por aqui é restrito ao Trailblazer). O câmbio neste último caso é automático de 8 marchas - contra 6 daqui. Diferenças são vistas também na gama de versões, cujo portfólio inclui as versões Base, LT, Z71 e ZR2 (esta com preparação off-road de fábrica, ao estilo da F-150 Raptor). Isso sem falar nas diversas séries especiais, como Midnight, Z71 Trail Boss e GearOn.

2. Fiat Fullback

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Típico exemplar do que a indústria chama de badge engineering, ou engenharia de emblema, a Fullback nada mais é do que uma Mitsubishi L200 da nova geração com os logotipos da Fiat. Conhecida do público desde novembro de 2015, quando estreou no Salão de Dubai, a picape já chegou a mercados da Europa, Oriente Médio e Ásia, além de vizinhos do Brasil aqui na América do Sul - Bolívia, Chile, Equador e Paraguai, por exemplo. É equipada sempre com motor 2.4 turbodiesel e opções de câmbios manual ou automático de 5 marchas. Mesmo sendo, por si só, um clone, ela tem também um equivalente da RAM - versão batizada de 1200 e vendida apenas no Oriente Médio.

3. Foton Tunland

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Picape de origem chinesa, a Tunland foi lançada mundialmente em 2011 e está à venda em diversos mercados da América do Sul - Argentina, Colômbia e Chile são alguns exemplos. É produzida pela Foton (marca que vende veículos comerciais no Brasil) e usa como principal atrativo de vendas o uso de componentes vindos de grandes marcas internacionais. O motor 2.8 turbodiesel, por exemplo, é produzido pela Cummins e rende 163 cv de potência. A transmissão é manual de 5 marchas da Getrag, enquanto o diferencial leva a assinatura da Dana. Por fim, os freios ABS com EBD são da Bosch.

4. GMC Canyon

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Irmã de projeto da Colorado norte-americana, a Canyon é vendida em países como Estados Unidos e Canadá sob a bandeira da GMC - divisão de veículos utilitários e comerciais do grupo General Motors. Compartilha com o modelo Chevrolet o conjunto de motores e as transmissões, mas tem posicionamento ligeiramente mais premium, especialmente levando em consideração a variante Denali (rodas de aro 20", acabamento em madeira no interior e detalhes extras cromados, entre outros). É exclusiva no desenho da dianteira, nas caixas de rodas com vincos bem definidos e nas lentes das lanternas traseiras. Em 2015, ganhou o prêmio Best of the Best na categoria utilitário nos EUA, desbancando a própria irmã Colorado, além do Lincoln MKC e do Porsche Macan.

5. Honda Ridgeline 

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Construída sob o mesmo conceito que vemos aqui no Brasil na Fiat Toro, a Ridgeline tem carroceria monobloco e deriva de um SUV, o grandalhão Pilot. É produzida unicamente no Alabama, nos Estados Unidos, mas vendida em uma variedade de países, incluindo vizinhos nossos, como Colômbia, Uruguai, Paraguai e Chile. Sob o capô, tem motor 3.5 V6 e câmbio automático de 6 marchas. Entre outros trunfos, oferece dirigibilidade próxima à de carros de passeio, um leque extenso de porta-objetos e até um sistema de som integrado à caçamba. Está na segunda geração, com visual bem mais atraente e jovial.

6. Isuzu D-Max

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Produzida pela japonesa Isuzu (marca que chegou a ser vendida no Brasil décadas atrás), a D-Max também é prima da nossa Chevrolet S10. A GM se uniu à fabricante asiática para tocar conjuntamente o projeto, dividindo os custos e reduzindo o tempo de desenvolvimento. Mecanicamente, ambas são praticamente idênticas, mas cada marca aplicou as tendências de suas próprias filosofias no visual. É também conhecida dos sul-americanos, sendo vendida em países como Paraguai e Suriname. É comercializada ainda na Ásia, África e até na Europa, fazendo relativo sucesso no Reino Unido. Sob o capô, tem como opção mais potente um motor 3.0 turbodiesel com 177 cv. 

7. Mazda BT-50

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

A BT-50 é mais um exemplo de projeto co-desenvolvido. Na prática, é fruto da junção de esforços de Mazda e Ford, que teve como fruto da parceria a atual geração da Ranger, a T6. Chama a atenção pelo visual alinhado com a filosofia japonesa e a pegada diferenciada das linhas da traseira - as lanternas em formato de folha são divididas pela tampa da caçamba e fogem do convencional estilo vertical e reto das concorrentes. Sob o capô, os motores 2.2 e 3.2, ambos turbodiesel, são idênticos aos da irmã norte-americana. É vendida em países da Ásia, Oriente Médio e Oceania, além de vizinhos sul-americanos como Colômbia, Chile e Paraguai. 

8. SsangYong Actyon Sports

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Famosa pelo estilo controverso pré-reestilização, a Actyon Sports já é conhecida dos brasileiros. Chegou a ser vendida por aqui anos atrás com os irmãos SUVs, mas teve comercialização interrompida depois que a SsangYong deixou o país. Atualmente está com visual mais tradicional e atende pelo nome "Korando Sports" - herdado do crossover homônimo. Tem motor turbodiesel 2.2 de 178 cv, câmbio manual ou automático de 6 marchas e capacidade para rebocar até 2,3 toneladas. Está presente em mercados da Europa, Austrália e Nova Zelândia, além da própria Coreia do Sul.

9. Tata Xenon

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Poucos devem lembrar, mas a indiana Xenon também já rodou em vias brasileiras. Não que a Tata tenha tentado vendê-la por aqui, mas uma aproximação com a Fiat no passado fez com que ela fosse testada por meses pelos engenheiros de Betim (MG). Acredite ou não, muito antes de pensar em desenvolver a Toro, a marca italiana se associou à Tata para desenvolver uma picape média sobre o projeto já pronto da Xenon. Os planos não vingaram e cada marcou optou por seguir caminho próprio. Hoje, a picape indiana é vendida na Ásia e Oceania, além de países da América Latina.

10. Toyota Tacoma

Lista - 10 picapes médias que não temos no Brasil

 

Líder da categoria no Brasil e uma das mais vendidas do segmento no mundo, a Hilux não é a única representante da Toyota no mercado de picapes médias. Na América do Norte, a gigante japonesa satisfaz o apetite dos yankees por veículos deste segmento com a Tacoma, produzida no México e rival direta de Chevrolet Colorado, GMC Canyon e Honda Ridgeline. Pode ser adquirida nas carrocerias de cabine estendida ou dupla, com motores 2.7 de 4 cilindros ou 3.5 V6 e câmbio manual ou automático de 6 marchas. O portfólio é composto por versões voltadas para o trabalho e lazer, além de uma variante preparada especificamente par o off-road, a TRD. 

Fotos: divulgação/arquivo Motor1

Seja parte de algo grande